Se esta é a sua primeira vez neste blog leia na coluna da direita as instruções!

23 de out de 2011

Antes

Ele estava deitado com os olhos atentos no livro. Horas depois estaríamos casados e talvez devêssemos nos preservar, cada um em seu recinto, para mantermos a surpresa. Mas estávamos apaixonados e com saudade, mesmo próximos. É verdade que `as vezes a paixão se alimenta da distância. No nosso caso ela se alimentava de uma saudade presente até mesmo quando estávamos juntos.

Ele me viu, e de seus olhos faíscavam sonhos. Seu sorriso rompia o silêncio e o medo de que algo não desse certo. Não a nossa vida que, mesmo pequena ainda, já brilhava tanto e iluminava o futuro, mas o nosso casamento. Era a primeira vez que nos casávamos - e se tudo der certo, que seja a última - estávamos tensos com todas as pessoas que iriam chegar, com os preparativos, com a festa, e em meio aos pensamentos que aterrissavam a cada instante houve um momento para o nosso olhar. Um olhar que magnetizou nossos corpos. Eu me deitei ao lado dele e perguntei de que tratava o livro. Então conversamos como se o tempo não existisse. Conversamos como fazemos muitas vezes, de forma simples e espontânea e eu me dei conta de que passaria a vida toda ouvindo-o falar, sorrir ou silenciar. Talvez este seja o momento do meu casamento em que estive mais inteira.

Um comentário:

Cacarina disse...

Lindo... querida como sempre! Estava com saudade!
Beijos cheio de felicidade para você!

Claudia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...