Se esta é a sua primeira vez neste blog leia na coluna da direita as instruções!

31 de mai de 2008

Agradeço feliz

Cheguei em casa agora após um dia inteiro de luz, de conhecimento, de sabedoria...
Feliz, com bons sentimentos no peito e muito aprendizado em mente. Palestras de manhã, com Galebe, presidente do ShopTour, Flávio, presidente da Riachuelo e rubens Presidente do Makro. À tarde curso da Elisa Lucinda de poesia falada. Obrigada por esse dia!
(E olha que nem terminou...)

Final de noite

Cheguei em casa agora. Acabei de encontrar meu lindo. Ele me contou com os olhos brilhando sobre a vitória de hoje. Uma vitória que envolve muitas conquistas. O time que ele é técnico ganhou de 4 a 1 e ele estava irradiante. Amanhà acordaremos cedo. Eu vou direto para uma palestra e à tarde para um curso. Ele tem jogos de manhã e à tarde. À noite nos veremos repletos de novos encantos. Admiro muito meu namorado!

30 de mai de 2008

Nome no Google

Adorei esse link, indicação do blog Querido Leitor: http://www.goglogo.com/
É possível criar uma página de pesquisa com seu próprio nome.

Encontros Mágicos

Tive alguns encontros mágicos na vida. Nem sempre encontros mágicos se tornam relacionamentos. São mágicos justamente por aquela penumbra do que poderia ser e não foi, ou não será. Ficam só os retratos não tirados, o desejo não realizado, a vontade não consumada. O poeta Manoel de Barros diz que o que não existe é mais bonito. Fica só aquele sonho, encantado, imaculado, mágico!

Uma vez li pela internet uma cena do seriado Dawson's Creek que jamais esqueci. Esse é um asssunto que me fascina. Por isso o diálogo se manteve em minha memória. "O que a memória amou fica eterno", diz a poetisa Adélia Prado. E assim aconteceu. A cena é um diálogo da personagem Joey com seu professor. Infelizmente só a encontrei em Inglês:

"Joey: So what is the best ending in all of literature? Don't say Ulysses. Everyone says Ulysses. Professor David Wilder: That's easy. Sentimental education by Flaubert.
Joey: And what happens?
Professor David Wilder: Nothing, really. Just two old friends sitting around remembering the best thing that never happened to them.
Joey: How do you remember something that never happened?
Professor David Wilder: Fondly. You see, Flaubert believed that anticipation was the purest form of pleasure... and the most reliable. And that while the things that actually happen to you would invariable disappoint, the things that never happened to you would never dim. Never fade. They would always be engraved in your heart with a sort of sweet sadness. "

(link: "Dawson's Creek" In a Lonely Place (2002)- )

Em minha palavras
No diálogo Joey pergunta ao seu professor qual o mais belo final da literatura e pede para que ele não responda Ulisses, porque todo mundo diz Ulisses. Ele responde "A educação sentimental", de Flaubert. Porque Flaubert acreditava que antecipar a realidade era a mais pura forma de prazer, afinal aquilo que realmente acontece, invariavelmente pode decepcionar, enquanto que o que nunca aconteceu só pode ficar gravado no coração envolto com uma tristeza extremamente doce.

Amor à última vista
Quantas vezes um olhar nos chama a atenção na multidão? Um olhar que nunca veremos novamente, um amar que nunca realizaremos, um nome que nunca chamaremos. Como na música de James Blunt tocada exaustivamente nas rádios: YOU'RE BEAUTIFUL (TRADUÇÃO) letra (James Blunt)

Comigo esse amor à última vista aconteceu. Não se consumou, nunca mais vi aquele rosto.

Encontros
Mas os encontros mágicos que tive foram marcados antecipadamente. Embora não tenham sido inesperados as emoções que despertaram foram inesperadas para ambos. Falarei mais sobre isso.

Minha avó

Ontem à noite fui visitar minha vozinha no hospital. Ela está fraca, fala pouco e baixinho. Sorriu quando falei que era sua neta, acho que ela nem tinha me reconhecido antes. Guardo dela uma lembrança doce, uma mulher sempre carinhosa, vaidosa e de passado muito sofrido. Amo você, vovó!

Se para os jovens cada dia é um presente que dirá para os enfermos. Confesso que não sei quantos presentes minha vó ainda irá receber...

29 de mai de 2008

Crianças me surpreendem

Crianças me surpreendem sempre. Impressionante!
Meus alunos de 10 anos são ativos, peraltas, especialmente os meninos. Alguns demonstram um pouco menos maturidade que as meninas, o que é natural. Estes tem mais dificuldade de concentração. Por isso é um desafio fazê-los prestar a atenção no que digo.

Criei uma atividade em que cada aluno daria uma nota de comportamento para si mesmo e para cada um dos colegas da sala. Antes eles teriam que apontar os pontos positivos e os pontos a melhorar que justificassem o julgamento. No início aconteceu o óbvio, aqueles que tem mais contato entre si deram notas maiores e entre os que mantinham rixa a nota era inferior. Como mediei a atividade ia questionando se havia motivos efetivos para agirem assim. Até que eles mesmos foram percebendo que alguém (talvez até por descuido) tinha llhes dado uma nota maior que a que eles deram àquela pessoa. Eles pediam para aumentar a nota. A situação foi se repetindo durante a atividade, vários laços de amizade desfeitos em pequenas intrigas infantis foram se refazendo. Aos pouco eles foram descobrindo no outro qualidades que ainda não tinham notado.

É encantador conseguir resgatar nas crianças seus sentimentos mais humanos, mais puros, de amor ao próximo, de compreensão e perdão para com o outro. Tenho presenciado nesta sala o fenômeno da transformação. É difícil e cansativo lidar com eles. Entretanto é mágico vislumbrar que até os mais indisciplinados tem atitudes grandiosas. Mesmo de quem menos esperamos surgem manifestações de integridade, respeito, educação. É que o preconceito nos cega. O padrào é esperar o bom comportamento somente de quem se comporta bem sempre. Sendo que o mau comportamento é, sobretudo, uma reação, um alerta de que algo não vai bem com a criança. Hoje senti profundamente o quanto eles querem ser melhores, basta que digamos como.

Amizade

Também falamos sobre amizade, sobre a capacidade de se colocar no lugar do outro e de entender como ele se sente. Usei a mim mesma como exemplo. Falei sobre como me sinto quando não tenho a atenção deles. Nessas ocasiões sinto que minha aula não é boa o bastante, sinto que não pude acrescentar a eles o quanto deveria ou poderia... Para isso dei como exemplo alguns deles que são realmente mais difíceis e percebi seus rostos enamorados pelo que eu dizia. Eles se importavam com meus sentimentos e saber sobre como me sentia os modificou. Vi, diante de meus olhos algo especial acontecendo àquelas crianças hoje e me orgulhei. Não por ter causado a situação, mas por ter presenciado a maravilha natural que já existe em cada ser. Muito pouco precisa ser feito, eles já são extraordinários por natureza.

Tocou o sinal

Estou me preparando para entrar em sala de aula.

Beijos de luz,

Aline***

Ausência no blog, presença na vida

Na terça minha amiga Paulah fez um show no Pióve. Quase não saio no meio da semana, não por falta de vontade, mas por falta de costume. É difícil quebrar o hábito, mas valeu a pena.

Ontem trabalhei, fui para a academia, cumpri meus minutos na esteira, na volta passei no salão para fazer as unhas e em casa soube que minha vozinha foi internada. Por sorte parece que hoje mesmo ela já volta para casa.

Hoje é o dia em que dou duas aulas no Progresso.

Sábado marquei uma palestra das 9 às 14, sobre Empreendedorismo e vou tentar me encaixar na turma do curso de poesia falada, com a Elisa Lucinda, à tarde. Um amigo meu está fazendo o curso. Só soube ontem... Eu que indiquei para que ele assistisse a peça da Elisa na temporada de 2005 e ontem, depois de muito tempo sem no falarmos pelo msn (quase nosso único contato porque só nos vimos pessoalmente uma vez) ele me conta isso. Adorei!

28 de mai de 2008

E-mails

Simplesmente não consigo ler todos meus e-mails. Não falo dos spams, mas dos que me interessam após uma prévia seleção por assunto. Acontece com você? Se não consigo ler todos, imagine responder... Demoro demais e olhe lá.

Ilusão

Gostei demais desses links que a Rosana Hermann indicou hoje em seu blog. Nas palavras da blogueira:



"O tema ilusão também está em duas matérias do portal feminino iTodas. A primeira fala sobre um estudo holandês que diz que a atração pelo parceiro pode ser só uma ilusão. E a segunda, chamada "o fim das ilusões" fala dos sonhos prontos que gostamos de comprar e de como tentamos encaixar as coisas nesse padrão ilusório."

Mistura

A ausência denota compromissos.
Tenho feito muitas coisas que não comentei aqui porque li um comentário sobre o blog que me deixou pensativa:
Jerri Dias disse...
Conferi o blog, parece ok, mas não entusiasmou. Sou muito exigente quanto à blogs/diários.

O comentário foi deixado no blog da Martha Corrêa que recomendava um post meu. Desde então diminuí os comentários sobre trivialidades do meu dia e comecei a ser mais criteriosa, para que o que escrevesse não fosse em vão. Entretanto repensei. A própria descrição deste blog teoriza: Arte sublime e alta, chão real e próximo, em uma mistura bem-vinda de elementos. Sem regras, sem limites... Então, aqui não há censura. Há mistura! "Uma mistura bem-vinda de elementos". Posso escrever poesia, prosa, profundidade, superficialidade, o que quiser. E você pode ler e voltar, será ainda mais bem-vindo que meus próprios pensamentos.

27 de mai de 2008

Simples

Textos leves beiram a mediocridade. Não são profundos, densos, complexos, como são as pessoas, como é o ser humano, mesmo em sua simplicidade...

Falar difícil não é falar certo. Falar difícil não é ser exato, correto, verdadeiro. Mas ser simples e leve por economia de emoção e de trabalho com as palavras não combina comigo.

Quero ser simples na minha complexidade e profundidade humana. Quero ser simples no cuidado que aquece a escolha de minhas palavras. Quero ser densa, profunda e complexa na minha simplicidade.

26 de mai de 2008

Pueril

Às vezes acho que o que escrevo soa extremamente bobo, ingênuo, pueril... Fico envergonhada. Nem todos os olhos adultos tem a doçura necessária do não-julgamento.
A vida me fez crescer em doses homeopáticas externamente, mas aos trancos internamente (emocionalmente). Amadureci o intelecto antes da prática. Lembro de ter 3 anos e responder 5 quando me perguntavam. Eu queria ser mais velha para ser respeitada. Ser criança era ser excluída das conversas. Meus pais menos, meus tios mais. Recordo nitidamente de suas vozes: "Criança não pode ouvir isso", então baixavam o tom da conversa ou me pediam para brincar em outro lugar. Dizia a mim mesma: "Mal sabem eles! Poderia muito bem participar da conversa..." Não sei se a petulância que guardava para mim era criada em casa, talvez no excesso de respeito que recebi na minha educação. Respeito nunca é demais, ou é? Meu pai se sentava em frente a mim e desabafava seus problemas do trabalho. Não descarregava responsabilidades, compartilhava, como quem divide um único pedaço de doce. Eu era parte, inclusa. Não encontrava isso nos outros adultos, nas outras casas. E sentia falta. Essa minha sede de amadurecer me deixou velha por dentro, antes do tempo. Deixei de ser adolescente por ser adulta demais, insegura demais. Os adolescentes arriscam mais, ousam mais, eu já era criteriosa, pensava no amanhã e no depois para deixar de viver o hoje. A adolescência me deixou tímida, a criança adormecia quieta, só, excluída por mim também, de tanto ser exclusa pelos outros. Então descobri que quanto mais amadureci efetivamente mais consegui ser criança, sem temer.
Pablo Picasso disse que precisou viver uma vida toda para aprender a pintar como criança. Precisarei da minha inteira também, para viver como elas... Só que ainda guardo em mim a mesma petulância e ironia diante do olhar adulto que me julga. Ainda me cobram que seja adulta para participar do mundo deles. As crianças não cobram nada, nem de mim, nem deles. Ironia!

Elogio, abraço, sorriso

Tem coisas que perfumam nosso dia... Um elogio, um abraço, um sorriso.

Há um ano fiz um compromisso com os professores do colégio, não deixaríamos passar um dia sem dar um sorriso a alguém, sem dar um abraço caloroso em alguém e sem fazer um elogio. O elogio tem o poder de revigorar duas pessoas, a que recebe o elogio e a que dá o elogio. A que dá porque tem a oportunidade de educar o olhar e a sensibilidade, por poder treinar a capacidade de encantamento, de se colocar no lugar do outro, de sensibilizar-se, de admirar. Habilidades estas que ficam adormecidas na rotina. A que recebe por renovar o ânimo, sentir-se valorizada, amada, querida.

O elogio que vai, volta. Volta melhor. Volta em forma de sorriso, de afeto.

O abraço também promove uma troca estupenda, de energia, de ternura, de amizade, de solidariedade. Tem que ser apertado, doado, inteiro, completo. Abraçar é como dizer: "Estou aqui com você, aconteça o que acontecer" ou "Recebo você, acolho você nos meus braços!" Um gesto que diz muitas palavras.

O sorriso ilumina o instante, faz feliz quem dá e quem recebe, quebra qualquer clima triste ou antipático e faz o dia e a vida serem melhores.

Elogie, abrace, sorria!

Começou tudo de novo

Bom dia para você!!

25 de mai de 2008

Feriado Prolongado

O feriado inspira uma sedução especial pelo descanço e pelo ócio. Quatro dias de liberdade com menos responsabilidade remetem a paraíso, sorriso e alegria. Também são suficientes para gerar saudade. Saudade do trabalho, das pessoas e até mesmo da rotina.

Quero me sentir útil! Quero aproveitar o tempo, fazer mil coisas no mesmo instante, ficar insatisfeita por não conseguir... No feriado que tenho mais tempo percebo que faço tão pouco.

Nos dias de hoje nosso maior dever é a disciplina. É preciso uma planilha para combinar encontros, cumprir deveres e garantir o bem-estar. Sem respeitar direitinho o horário, planejamento e compromissos estabelecidos se torna impossível fazer todo o previsto. Só de pensar nessa correria de agenda apertada já fico com saudade do feriado prolongado, que nem terminou ainda...

24 de mai de 2008

Quem é você?

Fico sempre pensando quem é você, que me visita e nada diz. Em silêncio fica. E também me deixa. No silêncio das minhas palavras escritas...

23 de mai de 2008

Indico

O Blog da Rosana Hermann que acompanho diariamente fez uma indicação imperdível desse post, de outro blog: "Puta é o caralho"

O que escrever?

O que sai do meu coração?
O que pensa minha mente?
Qual a essência do meu sim?
A essência do meu não?

Não me canso de procurar,
O que escrever, o que mostrar.
Não encontro.
E me mostro mesmo assim,
Enquanto escrevo.

Acidente na madrugada

Um cruzamento de avenida. Madrugada escura e sem trânsito. O sinal estava verde. Ele passou direto com sua moto. Um motorista distraído bate nele ao fazer um retorno proibido. A moto cai. Ele voa e bate no asfalto. Esses momentos tão rápidos e inesperados parecem pesadelo para quem os vive. "Isso está acontecendo?", pensou. Ainda tonto tentou levantar com as pernas cambaleando e se jogou na calçada. Juntou gente em volta. O motorista apareceu oferecendo ajuda. Chamaram o resgate que chegou alguns minutos depois. Observei tudo. Espero que ele esteja bem. Também é como um pesadelo testemunhar uma cena dessas...

Inúmeras histórias

Um dia sem postar, muita história para contar.

Tenho visto o mundo e me colocado na pele das pessoas. Inúmeras pessoas, incontáveis histórias, diversas vidas...

21 de mai de 2008

Único "nós"

B e t o M e l o d i a me fez um convite tão mágico, tão doce, que une os blogueiros em uma rede. De afeto em afeto. De letra em letra. Sendo cada um cada um. E enlaçados todos em um único NÓS.

" Los quiero mucho, sigamos adelante llenandoeste espacio con los colores de laesperanza y descubramos en las palabras unallave mágica que nos abra todos los díaslas puertas de la fantasia.”

São palavras de Caselo, ao brindar sua amiga Emanuela e a nós, seus convidados, com este carinho em forma de desafio

As normas são:
1.-Colocar o link de quem nos desafiou
2.-Publicar as regras no blog
3.- Citar seis coisas que não nos importame seis de que gostemos.
4.-Eleger seis blogs para o desafio.
5.-Avisar a estas pessoas com umcomentário em seus blogs.

Então, lá vai:
As seis coisas que não me importam...
1)A primeira impressão
2)Pré-julgamentos
3)Carros
4)Valores Materiais
5)Café
6)Números

... e as seis coisas que me importam:
1)Pessoas
2)Sentimentos
3)Família
4)Crianças
5)Educação
6)O presente

Agora os blogs que escolhi para darem seguimento:

Blog do Jayesh Junior
Blog do Hugo Becker
Blog da Paulah Gauss
Blog da Dyane
Blog do Guigas
Blog do Anderson

Imagem

As pessoas gostam de imagens.
Eu também gosto de imagens, mas gosto mesmo é de escrever. Confio nas imagens que se formam na leitura:

Maçã vermelha
Maçã verde
Massa de pão
Cadeira de madeira
Cadeira de balanço
Escada de ferro
Escada de pedra
Pessoa amada

Você consegue imaginar todas essas imagens?

Livros

Livros contam histórias.
Não só as histórias que eles contam. Mas os livros NOSSOS contam as nossas histórias. As histórias que lemos neles. E recontam, com a passagem dos olhos.
Esses dias reuni todos meus livros em uma única prateleira. Em casa todos temos livros e ficam todos juntos sem muita separação, e pior, sem organização alguma. Sinal de que são lidos, manuseados, compartilhados.
Há pouco parei para olhar os meus, alguns antigos, outros mais novos. Alguns li até o fim, outros não cheguei ao final.
Meus livros contam histórias só de olhar para eles. Contam minhas histórias e as histórias que ficaram na memória daquelas páginas que li.

Delícia só de passar os olhos!

20 de mai de 2008

Professora

Há 20 anos ela tinha sido sua aluna. Por isso tanta emotividade. Por isso o coração batia e o olhar transbordava quando pensava nela. Desejava sucesso, realizações. Afinal um aluno, não importa quanto tempo passe é sempre uma flor desabrochando de uma semente lançada em uma aula. Como era bom ver a aprendiz florescer! Em cada pétala que se abria, em cada perfume que sentia, sabia que eram vestígios do sonho bom que tivera quando a mulher era ainda criança, era ainda sua aluna com 8 anos e duas tranças que adornavam o rosto.

Depois de 20 anos é natural que as funçõe se misturem, não se sabe mais quem aprende, quem ensina, se tornaram parceiras. Mas naquele dia em especial ela precisava dizer, ainda faltava uma lição. (E sempre vai faltar, porque nunca estamos prontos. Nunca estamos findos. Somos humanos de passagem e nosso ser também é passageiro e mutante durante o caminho.)

Algumas palavras estavam presas na garganta pedindo para voar. Então olho nos olhos daquela que já fora sua aluna e com os olhos repletos de lágrimas disse, com toda sinceridade de seu sentimento:

- Você é iluminada! Não entendo como ainda não escreveu um livro... Acho que você ainda não encontrou a forma, se vai ser através de livros, de palestras, da TV, mas eu sinto que você tem uma mensagem, já falamos sobre isso.

A aluna sabia. Uma mensagem estava latente sob sua pele. Como transmitir? O tempo a ensinaria...
_________________________________

Nesta história a aluna, ex-aluna, eterna aluna, sou eu; e a professora se chama Alzira. Hoje em dia ela trabalha comigo como coordenadora e sempre se emociona ao falarmos disso....

Jogos de Futsal do Progresso Centro

Saímos do colégio às 15h30min. Um ônibus com cinco equipes de futsal e uma viatura que o seguia. Fui na viatura com o diretor. Tínhamos como destino um colégio em Interlagos e 17h seria o horário do primeiro jogo. Teríamos que atravessar a cidade de São Paulo para os cinco jogos. Logo na saída nosso ônibus entra em uma rua pequena e um caminhão estacionado o impede de passar. Vários carros tiveram que dar ré, inclusive o ônibus, para pegar outro caminho. Alguns minutos a mais de atraso e o medo do trânsito atrapalhar a chegada a tempo... Marginal, Tiradentes, 23, Washington Luis... Chegamos em cima da hora, ainda antes dos árbitros. Ganhamos o primeiro jogo feminino com alguns gols de vantagem, o segundo jogo feminino também. Perdemos o masculino de nossos alunos menores que jogaram honesta e talentosamente contra um time de alunos mais velhos que eles. Os outros dois jogos masculinos ganhamos também. Mesmo no território do adversário fomos campeões. Esta é apenas a estréia no Campeonato Colegial São Paulo.

Parabéns, a todos os alunos-atletas! Parabéns as equipes e ao técnico brilhante e competente, meu namorado, Eduardo Vela!

Romântica, eu!?

Meus pais foram ao show do Manieri ontem. Quando ele cantou "Primavera" meus pais estavam na pista, se olhando e cantando um para o outro: "É primavera, te amo..."

Passaram 32 anos que estão juntos. É muito animador presenciar uma cena dessas.

Como posso não ser romântica nessa família?

Ana Paula, aluna de Belém

O colégio tem uma aluninha, Ana Paula, de Belém. Amanhã ela volta para sua cidade. Vai deixar saudades... Belém do Pará é um lugar especial para mim. Abriga amigos queridos, agora será também o canto de Ana Paula, aliás seu jeito de falar é como um canto, como música. Que lindo sotaque!

19 de mai de 2008

Show

Hoje tem show do Maurício Manieri!

Mario Sérgio Cortella

Minha parceira de trabalho e de sala, Alzira, sempre tem um comentário a fazer sobre o blog assim que nos encontramos. Hoje ela falou especialmente de um post em que comentei sobre a palestra de Mario Sergio Cortella, por isso acrescentei esse link de um vídeo no youtube. Ainda não vi, mas não quero perder de vista.

*se quiser encontrar o post utilize o comando: Ctrl+F (ou seja, aperte simultaneamente a tecla "Crtl" e a letra "F" no teclado, vai aparecer uma janela. É só digitar a palavra que deseja encontrar, exemplo "Cortella" que o localizador indicará todas as ocorrências na página. Se ainda não conhece o comando, tente, é ótimo!)

Escrevo

Não sou organizada, não sei separar meu conhecimento em compartimentos, não consigo organizar coisas, planejar... Ai, que dificuldade!

Poderia ter um blog para poesia, outro para prosa, outro para trivialidades, mas quem disse que sei disso quando escrevo?

Nunca sei que texto sai de minha mão. Nunca há um título antes das linhas. Escrevo primeiro para depois pensar, reescrever talvez.

Enquanto escrevo alguma vida se escreve em mim!

Prateleira de Poesia

Fernando Pessoa fugiu da minha mão. Caiu na mão dela para ficar por um tempo. Um livro que acabei de comprar para mim, ela pegou pra ela. Eu dei. Não se sabe quem precisa mais de poesia. Um ou todos? Poucos ou muitos?

Poesia fica sempre em prateleira desprivilegiada. Pergunto nas livrarias e tenho que me abaixar para olhar. Poucoa exemplares. Ainda menos olhares ou procuras. Pessoas que não sabem ler poesia... Como se fosse uma arte difícil, ou uma arte menor. Poesia é popular. Em poucos versos se compreende a sabedoria de um livro tudo. Mais simples ler uma página que muitas. Menos tempo. Contido. Completo. Profundo. Em um verso cabe um mundo. Há caminhos para outros mundos, para o nosso, inclusive.

Ah... Queria a prateleira de poemas logo na entrada, na fachada estampada, na vitrine.
Queria um livro meu ao centro. Sonhar é permitido.

17 de mai de 2008

Sal Gastronomia




Dormi durante boa parte da manhã. O almoço foi no SAL Gastronomia, o restaurante do chef Henrique Fogaça. Dá vontade de comer de joelhos já agradecendo pela desgustação de sabores tão deliciosos... Hmmm.... É tão bom que nãos e consegue explicar em palavras. Dá água na boca de lembrar!

O lugar é pequeno, os preços são honestos e os frequentadores alternativos. Muito charmoso!

Nesse vídeo é possível ver a preparação de alguns pratos, inclusive da minha sobremesa preferida (charuto de banana com sorvete de canela): Clip SAL Gastronomia

Se ficou curioso é quer conhecer o ambiente: SAL Gastronomia clip 3
*na foto meu prato preferido, filé de frango ao chutney e couscous marroquino com legumes e mix de folhas.
**detalhe: uma culinária que se aproxima da arte! (em amplo sentido, já que o restaurante fica em uma galeria de arte)

Casamento

Acabei de chegar do casamento. Que festa mais linda!
Os noivos lindos, as famílias também. Especialmente Marina, irmã do noivo, minha amiga de adolescência que eu AMO e amo ainda mais poder encontrar. Ai, já estou com saudades... Há anos ela mora no Rio de Janeiro e nos vemos pouquíssimo.

A irmã da noiva também é minha amiga, já apareceu aqui: Dica da Dri: bazares imperdíveis!

A decoração estava mágica! Árvore artificial no meio do salão (feita com flores e caule naturais). Pedaços da parede cobertos de folhagens verdes. Lustres e velas. Muito lindo! Ganhei um par de Havaianas personalizado. A festa vai rolar até altas horas, com certeza. Eu queria ter ficado mais...

Encontrei amigos antigos.

Até esqueci de contar que esta semana estou fazendo a dieta da sopa (indicação do meu médico ortomolecular para desintoxicação), com isso emagreci. Fui com um vestido verde que só funciona se estiver magra. Modéstia à parte ficou lindo e não tenho uma foto para mostrar...

Beijos de luz,

Aline***

16 de mai de 2008

Já valeu!

Tem coisas que valem o dia! Por exemplo esse sinal de leitura no post abaixo:
Oi Aline. Não tem nada a ver com o assunto acima mas precisa falar isso a você. Te admiro muito, estudei no Colégio Progresso, te conheci lá....já te admirava, agora com seu blog e vendo como vc é bacana, escreve bem, um doce de pessoa minha admiração por vc aumentou. Foi sua a ideia de mudar o visual do Colégio Progresso Junior?? Ficou muito legal....Vc é uma pessoa linda por fora e por dentro e possuí umas das melhores qualidades que um ser humano pode ter: a humildade....continue sempre assim....parabéns...Priscila Fonseca. Obs: (Já tentei te add muitas vezes no orkut e vc nunca me aceita :(.....)beijos!!!!
Já valeu! Mas, respondendo.... Sempre achei que o Progresso Júnior merecia uma fachada mais lúdica, colorida e chamativa. Até que conhecemos um artista especializado neste trabalho. Ele fez o desenho com algumas referências que demos e foi aprovado. Ficou lindo, né? Acredita que muita gente visita a escola achando que é nova, porque nunca tinha reparado que lá era um colégio?
Priscila, muito obrigada por sua sensibilidade, delicadeza e generosidade. Se até hoje não a adicionei é porque gostaria de conhecê-la pessoalmente antes. De qualquer forma pode me adicionar agora, porque a afetividade ultrapassa a matéria. Mesmo distantes fisicamente estamos próximas.!
Beijos de luz

Casamento

Hoje à noite tem casamento. Festão!

For Fun

Adicionei um elemento novo ao Blog. Vai ficar na coluna da direita. Chama-se "For Fun":
Se houver um astronauta romântico em você...
Se houver uma criança em você...
Se houver um pintor em você...

15 de mai de 2008

Conforme o combinado: ontem

Entrevista com Maurício Manieri
Ontem foi o seguinte. Saímos atrasados de Guarulhos para a entrevista com o Manieri. Fomos em 4 pessoas no carro: o motorista, a produtora do show que ele vai fazer em Guarulhos, o cinegrafista e eu. O endereço era de um restaurante em Santo André. Maurício mora lá. No caminho começou a cair a maior chuva. Chegamos com meia hora de atraso e por sorte ele estava terminando uma outra entrevista. Tinham várias pessoas acompanhando. Todos foram embora e fiquei à vontade em um canto lindo do restaurante (com plantas verdes adornando cadeiras brancas de jardim) para conversar com o cantor. Fiz várias perguntas sobre tudo que tinha pesquisado sobre ele. Foi uma conversa bacana!
Manieri foi professor de música, deu aulas de piano, de canto. Tanto que tive aula de canto com uma de suas alunas. Ele lembrou dela quando comentei, já com a câmera desligada. Perguntou se eu cantava falei que tentei aprender e não consegui. Ri. Perguntei a ele se acreditava que qualquer pessoa poderia cantar através da técnica e ele me respondeu que cantar bem é possível, mas tocar a alma das pessoas é diferente. Conversamos um pouco mais, ele deu autógrafos [Manieri beija o papel após autografá-lo] e de lá voltamos correndo. Pedi para me deixarem no Expo Center Norte onde estava acontecendo o Congresso de Educação. Minha prioridade desde o início era assistir à palestra do meu querido ex-professor (e eterno mestre) Gabriel Chalita. Por conta disso de manhã quase tinha desistido da entrevista que eu queria muito fazer, mas ao mesmo tempo não queria perder a palestra. Cheguei agitada para o credenciamento, do carro já tinha combinado por nextel de encontrar minha irmã na porta e fomos em direção ao auditório. Já se somava mais de uma hora de atraso do horário marcado. Como era um evento de abertura tinham dois palestrantes e o primeiro estava terminando. Fiquei feliz! Tudo tinha dado certo para que eu assistisse o Gabriel desde o início.
Mario Sérgio Cortella, filósofo, estava falando de forma tão brilhante que fiquei encantada. Mesmo Gabriel Chalita, que aguardava à mesa o seu momento fazia anotações e olhava com admiração.
Cortella disse: "Reconhecer as diferenças não significa valorizar a desigualdade". A palestra era sobre Ética e Respeito a Diversidade. Falou sobre a importância do outro, de se renovar através do outro, de reconhecer o outro como "o outro" e não como estranho. Citou Leonardo Boff: "Ponto de vista é a vista a partir de um ponto". Comentou que o arrogante acha que se basta em si mesmo, que não precisa do outro. Neste momento pegou um copo encheu de água e disse: "Quando coloco água no copo, eu aprisiono a água, a água se acomoda no copo. Tem pessoas que se acomodam em si mesmas... Transcender, transbordar o copo, é regar a vida!" Foi lindo!
Adorei também quando ele citou Benajmin Disraeli (Benjamin Disraeli - Wikipédia, a enciclopédia livre): "A vida é muito curta para ser pequena". Citação extraordinária esta! Tem pessoas que "apequenam" a vida. Se a vida é curta é porque ela deve ser grandiosa. Em cada instante.
Afirmou ainda que gente não nasce pronta. Quem nasce pronto é geladeira, mesa, cadeira. Depois vai desgastando. Ser humano nasce "não pronto" [e não se desgasta] vai se fazendo.
Interessante que agora, lendo minhas anotações da palestra do Chalita para encerrar o post leio esta frase: "Literatura é a história dos sentimentos, para fazer literatura é preciso tocar a alma".
Lembrei da minha indagação ao Manieri. Quando era criança eu queria ser cantora. Cheguei a conclusão que me faltava um dom que só um trabalho muito árduo de técnica vocal seria capaz de substituir. Maurício discordou. O trabalho árduo não seria suficiente para compensar uma eventual deficiência em tocar a alma das pessoas. Chalita disse a mesma coisa. Portanto a minha busca continua igual. Troquei a música pelas palavras e continuo aprendiz. Recebo mensagens, afinal foram mensagens o que me disseram.

Frases musicais

Folheando a TPM encontrei essas duas frases musicais incríveis:

"Bobeira é não viver a realidade".

"Quem sabe a vida é não sonhar".

Aproveite para acrescentar nos comentários alguma frase musical que te toca.

Marcelo Tas

Em algum dia dessa semana li uma entrevista do Marcelo Tas na Revista Trip. A Trip e a TPM são revistas inteligentes. As matérias são diferentes, criativas e inovadoras. Assim que li a entrevista pensei em compartilhar porque o cara é tão genial que fica até difícil destacar só um trecho. Veja aqui: Páginas Negras

Debate

Recebi esse comentário do Hugo (Blog do Hugo Becker) no post O que é fácil?:
Se você pudesse trocar de vida, para que a vida testasse sua força constantemente, diariamente, a ponto de levá-la ao limite extremo, como acontece comigo, você gostaria de fazer a troca? Acredita que ela lhe traria mais força? Gostaria MESMO que a vida exigisse mais de você?
Respondi o seguinte:

Oi, Hugo! Obrigada pela visita e pelos comentários!
Disse que a vida exigiu pouco de mim em um único sentido, na minha posição profissional e social. Como vivemos em um mundo capitalista é para isso que as pessoas olham e é atrás disso que todos correm. Então parece que TUDO foi fácil. Como se "isso" fosse TUDO. Quanto a viver a sua vida e ser levada ao limite extremo eu faria a troca dependendo do que é "limite extremo". Limite extremo de que? Fui levada ao limite extremo muitas vezes, só que provavelmente não no mesmo sentido que você. Mas é claro se fosse para escolher entre sofrer e não sofrer eu escolheria não sofrer. Contudo, alguns sofrimento do passado me trazem orgulho e não sei se eu seria eu mesma, com as qualidades que mais me trazem orgulho pessoal, sem essas experiências passadas. O difícil é falar do futuro. Escolher sofrer sem saber se o resultado vai ser positivo... Considero positivo o resultado dos sofrimentos que tive, mas sou incapaz de querer tê-los de novo por livre e espontânea vontade porque doeram demais.
Depois de muito lhe dizer e refletir comigo mesma só posso acrescentar que o admiro. Você vai longe escrevendo desse jeito! Você é raro!

Beijos de luz,

Aline***

"The sweet isn't sweet without the sour"

Nem todos os dias são incríveis. Há dias em que tudo dá certo, até o inesperado. Ontem foi assim para mim. Mas é porque nem todos os dias são assim que podemos reconhecer os encantamentos e maravilhas do mundo. O doce só é doce por causa do amargo. "The sweet isn't sweet without the sour". Bela frase! Do filme Vanilla Sky.
Bom dia aos frequentadores deste espaço!

Neste post Base transparente comentei que soube de algo maravilhoso.

É que recebi muitos comentários neste post O que é fácil? mais do que em qualquer outro. Também foi um pico de visitação. Até que cheguei a conclusão que provavelmente as pessoas vieram direcionadas por algum outro blog. E foi isso mesmo. Fiquei feliz e honrada por aparecer neste blog http://marthacorreaonline.blogspot.com/2008_04_01_archive.html com tantos doces comentários direcionados a mim.

Beijos de luz,

Aline***
P.S.: Ainda devo maiores informações sobre ontem.

Dia completo e incrível!

O dia foi maravilhoso, a entrevista idem!
O Maurício Manieri é um fofo! Super simples, talentoso e tem olhos azuis em um tom lindo que nunca tinha reparado pela TV. Cantou ao vivo trechos de três músicas, entre elas "Minha Menina", a que mais gosto.

De lá fui direto para um congresso de educação. Mario Sérgio Cortella, filósofo, teólogo, ex-secretário municipal de educação, já estava falando. Incrível! Em seguida Gabriel Chalita, meu ex-professor, adorável!

Amanhã terei muito a contar. Cheguei em casa meu pai e minha mãe estavam sendo entrevistados para a TV Destaque (http://www.tvdestaque.com.br/). Depois fomos tomar café com o apresentador e eu ainda encontrei meu namorado em um japonês. Cheguei só agora. Espero contar mais em breve, é que talvez tenha dias corridos esssa semana.

14 de mai de 2008

Desejo

Não ha´neste mundo alguém que deseje mais que eu. Não deve haver e se há eu desconheço. O desejo grandioso toma-me inteira, completa. Sou só desejo. Nem sonho, nem brinco, nem vivo. O desejo maior tomado em meu corpo e alma e espírito e palavra não falece, cresce. Desejo de viver. Mais um dia, mais um instante, mais um agora. E depois? Depois sempre.

Há em mim o desejo, maior que eu mesma...

Preparação para entrevista com Manieri

Hoje vou ter que me virar sozinha. Sem a sua ajuda para perguntas. Já pesquisei tudo sobre o Maurício Manieri. Ele aprendeu piano clássico desde a infância, teve uma escola de música com o irmão Marcelo, que era guitarrista da banda de Manieri e que faleceu de infarte fulminante aos 33 anos. Essa parte é triste, não sei se vou tocar no assunto. Ele casou recentemente com uma apresentadora da TV+ e para ela cantou uma bela música na cerimônia.

Particularmente acho Manieri um um dos melhores artistas pop brasileiros. Sem muita mídia, divulgação e até uma boa gravadora, infelizmente. Para mim o hit "Minha Menina", que lançou o cantor em 98/99 é uma pérola. Não entendo nada de música, apenas ouço, acho interessante e sinto uma vibração boa no corpo. É só ouvir e dá vontade de cantar e dançar. Penso que esse resultado só se alcança com talento. Depois conto como foi a entrevista, mas ainda há tempo de me deixar alguma perguntas.

13 de mai de 2008

Prevenção e Combate ao Câncer

Estou limpando minhas caixas de email (são 3!) e encontrei um artigo sobre o câncer que me chamou a atenção. Meu pai já foi acometido pela doença várias vezes e conseguiu se recuperar através de quimioterapia, entretanto ainda mais forte que isso foi o seu espírito desbravador e seu amor à vida que o fazem estar vivo e "saudável" até hoje. Ele tem quase mais energia que eu para trabalhar e contagiar as pessoas com sua garra e força.

Pesquisando sobre o tema encontrei esse link que considero pertinente e interessante: Fitomedicina: Atualização sobre Câncer do Hospital John Hopkins

Maurício Manieri


Amanhã à tarde vou pessoalmente entrevistar o Maurício Manieri para a TV Guarulhos.
Se quiser que eu faça uma pergunta pode deixar nos comentários, aliás vou adorar a participação. O que você perguntaria ao cantor?

Olhos Grudados

Tenho pensado muito no que faz os olhos grudarem nas palavras e se manterem lá até o fim da idéia, até o ponto final... O que faz os olhos desistirem da leitura? Queria tanto saber. Meu sonho é manter seu olhar comigo, até o final, sempre. E sua atenção também.

Para você, meu leitor!

Escrever não é só ter algo a dizer, é despir-se, mostrar-se.
Um corpo nu diz muito menos que uma alma nua. Embora nem todos olhos vejam, nem todos olhos leiam, nem todos olhos ouçam.
Um silêncio pode dizer mais que palavras. Pode ser severo, frio. Mas pode ser também acolhedor, como o brilho calado de um olhar que nos entende e nos abraça quando estamos sofrendo.
Você me lê em silêncio, eu te falo em palavras-mudas muitos gritos que saem do meu âmago. Neste momento somos um. Neste instante somos únicos. Neste agora estamos unidos. Por uma distância que nos separa. Por um tempo que nos segrega. Mesmo assim juntos.

12 de mai de 2008

Gorz e sua Dorine

Quando vi essa foto na Revista TPM deste mês fiquei em êxtase! Falei muito sobre este casal aqui no blog: Conhece André Gorz? , Manifesto ao amor , Carta a... só que ainda não tinha visto uma foto tão bela. Se você não leu meus posts sobre eles por favor o faça.

Se quiser ler uma segunda opinião:
» Velhinhos suicidas

Se você também se sente tocado e mexido por esse amor, me deixe um sinal aqui nos comentários que chamo carinhosamente de "Sinais de Leitura".

Ajuda na votação

O Colégio Progresso Centro, lugar que acolhe o meu trabalho, está concorrendo como melhor colégio da cidade. Preciso de ajuda nesta votação.
É assim, você acessa esse site: http://www.revistacomclasse.com.br/votacao.html
clica em "Colégio" e vota no Progresso Centro,
depois em "Personalidade Masculina"
e vota em "Prof. Nahim Ahmad", nosso diretor-presidente e meu pai.

Assim como nas eleições de nosso país, nem sempre vence o melhor, mas o mais votado. Espero que com sua ajuda o melhor e o mais votado coincidam e sejam as minhas indicações.

Imperdível

Paulo Gandra é um jovem e talentoso diretor de filmes que conheço porque quase fez parte de minha família. Ele namorou minha irmã. O fim do relacionamento deixou um rastro de carinho entre nós. Tanto que já fui atriz de um filme publicitário que ele dirigiu e já publiquei aqui:Comercial

Hoje fui surpreendida com um vídeo dele que vai concorrer em Cannes e ele me enviou pelo orkut. Vejam: http://br.youtube.com/watch?v=rqTBQLv0uoc

Transparência Enigmática

Sou transparente, como uma água cristalina e pura que vem entre as pedras, de um rio do alto de uma montanha. É para o alto que também espero voltar um dia.

Não sei fazer mistério. Não sei iludir, esconder, jogar. Em relacionamentos isso pode ser um caso sério.

Já digo logo, já falo logo, já sinto, me expresso, sou assim. Não guardo coisa boa só pra mim. Todo sorriso que eu puder motivar sai de mim.

Quando era adolescente meu pai me contava histórias sobre algumas namoradas que teve, sobre as mulheres que achava charmosas. Ele me ensinava que os homens eram loucos por mulheres misteriosas. E desde aquele tempo eu já percebia que não era enigmática. "A paixão acontece pela idealização" diz Francisco Daudt da Veiga, psicanalista, em uma matéria que li no jornal de ontem. "Como idealizar quem se mostra tão transparente?", questiona ele. E eu também me questiono.

As pessoas podem até me idealizar, mas isso dura só o tempo de me conhecerem. Pouco tempo.

A não ser que paire algum mistério, algum enigma secreto, sobre alguém que se diz tão transparente em um mundo tão duvidoso.

Psicóloga

Sempre me preocupo em fazer uma prévia apresentação, caso você esteja me visitando pela primeira vez e precise situar-se. Trabalho em uma escola e hoje nossa psicóloga foi até minha sala para dar um retorno sobre algumas crianças e pais que haviam se consultado com ela. Sou fascinada por psicologia. Ela se chama Élide, é super experiente e competente na profissão. Quando aparece eu sempre abuso um pouquinho, pergunto coisas e ouço atentamente o que ela diz. Acabo chegando a várias conclusões com relação às pessoas envolvidas e a mim mesma. É sempre um aprendizado! Fiquei até com vontade de voltar à terapia...

Breve agradecimento

Bom dia!
Sim, já passa do meio-dia, é que ainda não almocei...
É muito bom começar a semana lendo manifestações e comentários deixados no blog. Obrigada por cada linha e letra escrita endereçada a mim!

11 de mai de 2008

Ordem

Estou aqui lendo, respondendo comentários, colocando as coisas em ordem... E você?

FELIZ DIA DAS MÃES!!
Lembre-se de dizer que a ama, imprescindível!

10 de mai de 2008

Base transparente

Em minutos tenho que sair, ainda falta maquilagem, a unha não deu tempo de fazer... Acabei de chegar do salão ao lado de casa. Só tirei o esmalte e passei uma base, aliás eu não, a manicure fofa! Que compulsão por escrever! (Mesmo sem tempo)

Ah! Descobri algo maravilhoso! Conto depois.

Bracinho engessado - A volta

Ah! Esqueci de contar. Soube que Gandhi, o menininho desse post "Bracinho" , esteve hoje na fazenda com a família e o "bracinho" engessado. Pena que não o vi. Saudades dele...

Sábado 10/05/2008

Uma vez comentei sobre a falta de tempo no final de semana. Também em decorrência das atividades diferentes que faço em dias de semana e aos sábados e domingos. Durante a semana trabalho também no computador, no final de semana mal sento para escrever.

O evento da fazenda foi lindo! As pessoas curtiram, se emocionaram, brincaram. Dava para sentir e ver com os olhos o resultado. Claro que algumas falhas queremos corrigir. Sempre é possível aprimorar. O legal é que atingimos o objetivo de unir a família e proporcionar bons momentos.

Às 19h15min tenho um casamento, vou me arrumar rapidinho.

Beijos de luz,

Aline***

9 de mai de 2008

Fotos para vocês

Estas são fotos da Festa de Dia das Mães do ano passado. O evento de amanhã vai ser diferente, na fazenda. Estas fotos foram tiradas em uma noite, 15 de maio de 2007, com muitas apresentações coreografadas.


Evento de Dia das Mães

Amanhã logo cedo tem evento do colégio em comemoração ao Dia das Mães. Vai ser na fazenda, com atividades, música, brincadeiras, etc.

"Bracinho"

Ah, o Gandhi... (Gandhi é um nome fictício para preservar a identidade dele)
O Gandhi tem 4 ou 5 anos. Cabelo Castanho e o corpo todo fofinho que dá vontade de apertar só de olhar para ele. Não por ser gordinho, o peso é normal, entretanto as crianças não tem musculatura e no caso do Gandhi até as mãozinhas dele são cheinhas. Adorável!

Essa semana ouvi a voz dele da minha sala*, não era uma voz rindo, era uma voz que chorava. Ái, cortou meu coração... Ele entrou com uma inspetora se queixando da dor "no bracinho". Imaginem essa doçura dizendo: "Ái, meu braciiiiinho! Tá doeeendooo!"

Doía em mim também. O choro dele não era escandaloso, nem exagerado, parecia muito verdadeiro, mas como não sou médica não sabia identificar se era pelo susto, pelo medo de ter se machucado mais seriamente ou por dor mesmo. Era por dor. Gandhi tinha acabado de tropeçar e caiu sobre o próprio braço. Infelizmente não era só um mal jeito. Ele foi operado ontem. Ocorreu tudo bem. Já falei várias vezes com a mãe dele por telefone e não vejo a hora de vê-lo de novo. Será que poderei apertá-lo mesmo engessado? Essa semana farei uma visita!

*Trabalho em uma escola de Educação Infantil e Fundamental

Vontade de ser lida

Sou escritora. Não porque nasci assim. Não digo que nasci escritora por dois motivos. Primeiro porque acredito que as pessoas não nascem prontas, todos podem ser o que bem desejarem, com maior ou meno facilidade. Segundo porque tenho irmãs que amo e não gosto de assumir que escrevo melhor que elas - aliás, porque as pessoas comparam tanto irmãos? - até porque acho que se isso é verdade é em função do treino, da prática. Escrevo muito, sempre escrevi, e amo demais essa arte!
Como escritora muitas vezes sinto vontade de perguntar: sobre o que você (que lê este blog) quer que eu escreva? É, porque para mim é tão bom me comunicar de forma escrita que adoraria fazer isso para agradar seu olhar, sua cabeça, sua alma ou seu coração. Sempre tento descobrir sobre o quê falar... Essa vontade de ser lida me persegue!

Filme da vida

O mundo está repleto de histórias incríveis acontecendo a todo momento. Presenciamos isso. Algumas vezes com mais atenção, em outras com menos... Basta estar atento para assistir o filme da vida de camarote. Basta querer para protagonizar o filme de nossas próprias vidas.

8 de mai de 2008

Belém

Recebi visita de Belém do Pará ontem e hoje. Tenho amigos queridos que moram lá. Suspeito que seja um deles, o André, que já apareceu por aqui: 1999

Palestra dele

Cheguei de uma palestra dele, do meu lindo, do meu namorado... O nome dele é Eduardo Vela. Pronto, falei.

Enquete

A vocação do blog é estabelecer um diálogo. É ser um veículo de comunicação global, seu, meu, nosso! Aqui ao lado há uma enquete muito importante para mim. É só clicar e me ajudar a saber como é a visitação que você faz ao blog, se é mais ou se é menos frequente. Aqui abaixo há o link "Sinais de leitura" para clicar e deixar seu comentário. Conto com sua participação.

Beijos de luz,

Aline***

Seminário ou Congresso?

Quero muito participar deste evento: Programa Oficial Completo - Educador Management . O problema é que coincide com as datas desse Congresso Pitágoras 2008 -------- que eu também quero muuuito ir. E agora?

Bom dia!

Bom dia!
Que esse dia frio e nublado que amanhece aqui possa aquecer seu coração com todo o calor que envio diretamente do meu...
Beijos de luz,
Aline***

7 de mai de 2008

Uva

Nem lembrava mais desse texto que escrevi há menos de dois anos. Acabei de encontrar no meu fotolog e quero compartilhar com vocês:
Meu sorriso era solteiro e só, como uma uva caída do cacho. Nada além de uma gota doce se multiplicando em milhares de gotinhas transparentes perdidas em olhares desconhecidos. Cada sorriso podia motivar um brilho de olhar. Que ligação seria essa entre sorriso e janela da alma? Pode ser que lábios sorrindo por fora seriam a expressão do olhar sorrindo por dentro, dentro da alma...
Meu sorriso não era mais solteiro, tampouco só. Estava presente como a mais doce e suculenta uva do cacho, contagiando o ambiente, a fruteira, a casa e o ar.

Aline***
14:08 - 30/07/2006

Verdade Inconveniente

A palestra do Fórum Empresarial de Guarulhos de ontem foi sobre sustentabilidade. LIVIO GIOSA , o palestrante, um homem que eu desconhecia, mas que passei a admirar profundamente, foi brilhante! Eloquente e emocionante ao citar o filme "Uma verdade inconveniente" de Al Gore, chegou a chorar. Acabei de assistir ao trailer An Inconvenient Truth em Inglês, que diz: "Se você ama seu planeta, se você ama suas crianças, você tem que assistir a esse filme!". E completa no final: "Nada pode ser mais aterrorizante que a verdade". Tenho que dizer, envergonhada, que ainda não assisti ao filme, entretanto sei que é indispensável. Cumpriei essa tarefa como cidadã e como ser humano ainda essa semana. E você já assistiu?

6 de mai de 2008

Fórum

Cheguei quase agora de mais um Fórum Empresarial de Guarulhos do Grupo Segredo do Sucesso . Como sempre adorei! Dei até entrevista para uma ex-aluna minha que hoje faz sucesso como jornalista da mídia escrita e televisiva. Parabéns, Bruna, fiquei orgulhosa!

Texto longo

Quando a gente escreve um texto grande (como no penúltimo post abaixo), não significa que é um texto chato. Ele só é mais longo e mais comprido porque investi (não gastei) mais tempo tentando pensar um sentimento, uma emoção, de algo vivido, de algo sonhado. Investi mais tempo para transmitir algo que acreditei valer a pena. Queria muito que me dissesse se valeu... O que acha?

Autran recita Drummond

Ouça Paulo Autran recitar Carlos Drummond de Andrade

Não ouvi ainda, mas deve ser imperdível. Colei aqui para guardar para mim e dividir com você, leitor.

Linha tênue dos relacionamentos

Ele disse: "Será um almoço ou café da tarde". Só restava a ela esperar... O horário do almoço estava perto e passou, talvez ele também deixasse a tarde passar adiando a conversa, mas antes que o céu escurecesse o telefone tocou. "Estou passando para te pegar", disse ele. Ela olhou o espelho mais próximo, com o blush deixou a face pálida mais rosada e sorriu. A buzina soou e em poucos instantes já estava ao lado dele, no carro. O caminho foi curto até uma cafeteria perto dali. Nem parecia que o assunto era sério ou que tomariam alguma decisão mais drástica, por isso ela ficou tranquila e confiante, alegre até, na companhia dele.
Ele pediu um misto e suco de laranja. Conversaram trivialidades. Até que ela disse: "Então... O que você tem para me falar?"
Pausa. Vamos abrir um parênteses neste momento da história. É preciso saber que no dia anterior eles já tinham iniciado um diálogo sobre o relacionamento. Algumas palavras incitavam um suave desgaste. Tudo normal entre duas pessoas. O problema é que os relacionamentos são assim, como se fossem sustentados por uma tênue linha de estabilidade. Qualquer passo em falso, qualquer pequeno deslize ou até mesmo uma dificuldade de comunicação, que gere má interpretação e desentendimento, podem ser fatais. Aquela era uma situação típica. Podia ser apenas "mais uma conversa casual", entretanto podia também ser "a última". Dependeria da dança dos ânimos. Relacionar-se é dançar sem tocar o pé do parceiro quando não se conhece a coreografia. Esta dança pode ser um momento de extrema alegria - como são os relacionamentos - e pode também ser um desastre, afinal jamais se aprende a dançar um ritmo que sempre muda, uma música que nunca é a mesma. Como coreografar? Por isso é preciso cuidado, delicadeza, ser sutil em cada passo, verificar duas vezes se não estamos pisando em alguém, se este alguém não é justamente o parceiro. Não se pisa no parceiro... Também pelo risco de ter que dançar sozinho.
Voltando a nossa história. Ele apoiou os cotovelos e os antebraços na mesa, abaixou um pouco a cabeça perto do ombro esquerdo e levantou só o olhar. O seu olhar era terno e brilhante. Ele a admirava em silêncio enquanto pensava no que dizer. Era como se tivessem roubado todo sua força e coragem. Ela sorria como se dissesse que estava pronta para ouvir o que fosse, para suportar qualquer declaração. Abruptamente sentiu-se mais poderosa, mesmo que tivesse motivos para estar frágil e triste. A respiração dele era profunda, buscava palavras que não sentia vontade de dizer. Precisava de um tempo para entender o que sentia. Pediu esse tempo. Ela negou. Um tempo seria o fim do que tinham. Como se a tênue linha não resistisse a ausência. Em caso de ausência um dos lados não estava disposto a segurar a extremidade da linha [que mantem os relacionamentos vivos]. Ela não seguraria... Ele não estava disposto a perdê-la para sempre, queria só alguns dias, talvez horas, então segurou firmemente a sua extremidade e puxou. Ele a puxou para si, para dentro de si, era lá o lugar dela, mesmo que isso causasse medo e estranhamento. Decidiu que encontraria uma forma, uma outra forma de resolver-se sem perdê-la por um único instante. E assim os dois se mantiveram ligados, por uma tênue linha, cuja qual um sentimento profundo era capaz de passar.
Saíram da cafeteria abraçados, enamorados, como tinha de ser.

Abandono

Todos os dias eu recebia uma visita de Ferraz de Vasconcelos. Isso durou semanas e cheguei a conclusão que devia ser a mesma pessoa. Mas não sei por qual motivo esse visitante desapareceu. Sempre consulto as cidades e países que passaram por aqui e Ferraz de Vasconcelos não aparece mais... O que aconteceu com essa pessoa que me fazia tanta diferença simplesmente por estar aqui constantemente? Será que me abandonou? Assim, sem sequer dizer porquê...

Então você que está aí atento. Quem me visita hoje pela primeira vez, ou que me visita sempre. Deixe um comentário, me diga o que mais gosta, ou o que mais gostou. Espero seu recado!

Beijos de luz,

Aline***

5 de mai de 2008

Está faltando assunto?

Às vezes simplemente a gente não tem nada a dizer... As palavras não são pertinentes, o dia está cinza, seja o que for.

Até assim fico com vontade de escrever.

Além de assunto falta tempo... Aliás o tempo falta mais que o assunto, porque esse último rapidinho eu arrumo (até a falta dele se torna assunto!)

Beijos de luz,

Aline***

3 de mai de 2008

Uma honra!

Escrevi o post O que é fácil? de supetão. Não podia imaginar que fosse mexer tanto com as pessoas e provocar tantas reações, tantos comentários... Agora acabo de ser presenteada com um texto inspirado no meu, escrito por uma poetisa, escritora e blogueira, como eu.. (Até rimou...risos)

Leia aqui: Comentário fácil

Zaratustra disse assim?

Em "Assim falou Zaratustra" Nietzsche tem uma frase que é mais ou menos assim: "O que me dizem teus lábios não me dizem teus olhos".

Talvez seja: "Teus lábios não me dizem o que meu dizem teus olhos".

Pode ser que seja diferente mas é dessa forma que me lembro. É que às vezes o que dizem minhas palavras não é o que sente minha alma. Não pela falta de verdade, mas por um pouco de fantasia, luz, vontade, esperança...

Às vezes digo sorrisos mesmo quando por dentro umedeço em lágrimas...

2 de mai de 2008

"Eu não trabalho, eu vivo!"

Agradeço demais os comentários, estou respondendo aos pouquinhos no próprio post, na própria janelinha em que me escrevem. Mas um, em especial, me chamou a atenção:

"Aline...sei que não tem muito a ver com o assunto acima, mas precisava de um meio para desabafar!!!Amanhã é feriado (dia do trabalho) e me fez pensar na vida....alias que vida?...fico trancada dentro de um escritório durante 12 horas do meu dia, ouvindo chefes chatos, arrogantes, etc....nosso dia tem 24 horas, desconta-se 7 de horas dormidas, sobram-se 5 horas para viver...estou indgnada...tantas coisas poderia estar vivendo nessas horas desperdiçadas, tantos lugares para se conhecer, tantas pessoas...será que vale a pena???Trabalharmos tanto na vida, para depois chegarmos no final dela e descobrimos que não vivemos absolutamente nada....estou muito triste. Após essa reflexão, minha vida ficou sem sentido. Sem mais, PF."

PF, muitas vezes já me senti assim, desamparada, triste, desacreditando de tudo e olhando para um problema como se fosse uma condenação, algo que não tivesse solução e que estivesse me aprisionando para sempre. Ainda bem que isso não é verdade. Nós que criamos nossos próprios cárceres. O bom disso é que só nós mesmos podemos nos libertar. A chave está em nossas mãos, talvez escondida, invisível, o fato é que podemos mudar tudo...

PF, trabalhar desse jeito não deve ser bom mesmo, além disso não é justo. O dia tem 24h, as horas de trabalho deveriam ser no máximo 8, sobrariam 8 para dormir e 8 para o lazer. Infelizmente não é a realidade dos brasileiros. Além disso é preciso organizar-se para gozar de tudo que a vida pode nos oferecer. Nem sempre organizamos o tempo para fazermos o que é primordial primeiro.

Sabe PF, gostaria muito que você assistisse a uma peça chamada "Parem de falar mal da rotina", se você mora em São Paulo a peça está em cartaz no Teatro Imprensa. Comenta que a nossa rotina quem faz somos nós. Muitas vezes sonhamos com um emprego, com um trabalho (o que hoje em dia é muito difícil conseguir) e depois quando conseguimos reclamamos de ter que acordar cedo para trabalhar. Isso confunde Deus... A gente pede tanto uma coisa e quando chega a gente acha ruim. Acredito profundamente que a vida faz de tudo para nos agradar. Depende da forma que olhamos para ela. Pode ser tudo uma desgraça, pode ser tudo um milagre.

Um trabalho não é uma forma de ganhar a vida para depois viver, o trabalho é também a própria vida. Meu pai tem 72 anos e sempre trabalhou muito. Ele já se aposentou e continua trabalhando, por gosto, pela vontade de continuar se sentindo útil. Quando perguntam se ele não se cansa ele responde: "Eu não trabalho, eu vivo!" Para ele o trabalho é uma forma de sentir-se vivo também.

A nossa atitude tem o poder de mudar tudo. Coloque um flor na sua mesa, acrescente um sorriso à feição do seu rosto, cantarole sua música preferida, descubra alguma qualidade nos seus chefes chatos (o que eles tem de bom? Ninguém é 100% chato, nem 100% legal), busque o que é possível aprender com cada experiência, olhe para as pessoas lembrando que cada uma delas um dia foi uma doce criança que sentia medo, chorava e precisava de um abraço. Se tudo isso não resolver pense em trocar de emprego, em trabalhar com algo que goste, que te preencha e te faça mais feliz.

Muito obrigada por desabafar comigo!

Beijos de luz no seu coração,

Aline***

Dia

Estava lendo o blog e percebi alguns erros de português. Sorry, acontece... Em brevo corrigirei os que for encontrando.

Hoje choveu o dia todo. Como milagre venci a preguiça e fui para academia. Cheguei a conclusão que com mais tempo livre eu teria mais tempo para atividade física. Não teria como fugir... risos

Gente, estou tão feliz em receber comentários no blog... Vocês nem imaginam!

Hoje recebi três visitantes de Portugal e 27 do Brasil, até agora... :)

1 de mai de 2008

O frio abraça São Paulo 2

O frio abraça São Paulo com suas mãos geladas. É preciso guardar um pouco de fogo dentro de si. Quase não se quer sair de casa. Cobertor, edredon, pijama felpudo, pantufa...

Ainda assim saí. Tomei café na padaria perto de casa. Voltei, espreguicei, rolei no edredon, banho e unhas feitas saí de novo. Almocei às 18h uma salada Madailene no Josephine . Ao meu lado três rapazes portugueses conversavam com aquele sotaque delicioso.

Estou "a esperar", como diriam eles, meu cobertor de orelha.

O frio abraça São Paulo

O frio abraça São Paulo com suas mãos geladas. Sorte de quem tem cobertor de orelha.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...