Se esta é a sua primeira vez neste blog leia na coluna da direita as instruções!

30 de out de 2008

Pádua

Quando era jovem meu pai estudou em Pádua (Padova), Itália.
Todos os dias recebo uma visita de alguém de lá, não sei se é sempre a mesma pessoa, não sei se é brasileiro... Sei que é especial para mim. Por ser uma cidade que fez parte da história de um homem que admiro demais.

P.S.: Se for você e quiser se identificar me faça feliz deixando um comentário. É só clicar em "sinais de leitura" logo abaixo e escrever.

28 de out de 2008

Choque

Muita coisa me deixa chocada.
A falência dos relacionamentos,
A incongruência dos sentimentos,
A temperatura dos nervos,
A inaceitação de erros,
A inverdade dos seres,
Os inúmeros saberes,
A violência urbana,
A generosidade humana,
A incerteza de futuro,
O medo que segrega pessoas em seus muros.
Fico chocada!

Sem Inspiração

Não sei o que aconteceu.
Não sei que bicho me mordeu.
Sei que assim se sucedeu.
Minha inspiração de um lado,
E do outro lado: eu.

27 de out de 2008

24 de out de 2008

Andre Dua


Em 1999 conheci Andre Dua. Para mim ele ainda era apenas André, embora já fosse talentoso.
Queria muito que você visitasse o site deste grande amigo, ouvisse as músicas e deixasse aqui a sua opinião, livre dos vínculos emocionais que viciam a minha.
André me pediu para divulgar este site lá o dele concorre. Precisa de votos. Para votar clique primeiro na estrela da foto do site dele e depois na página que aparecer clique na quinta estrela.

Sorry

Ontem não escrevi nenhum post. Peço desculpas. Infelizmente não tenho previsão de quando escreverei. Será o mais rápido possível.
Beijos de luz,
Aline***

22 de out de 2008

Kassab X Marta, Sociedade X Povo

Já falei sobre Sérgio Vaz uma vez neste post.
Ele é um poeta fabuloso com um projeto ainda mais incrível, chamado Cooperifa, que leva a poesia para a periferia. Sou fã do cara.
Recentemente ele escreveu um texto muito pertinente sobre a polêmica causada pela propaganda da Marta contra Kassab ao perguntar se ele era casado, se tinha filhos. A campanha foi recebida como preconceito e uma provável insinuação de homossexualidade.
Sérgio Vaz escreve uma visão que não foi comentada por ninguém, não que eu saiba. Seria uma saída brilhante para o estrategista da campanha da Marta revidar. Penso até que o direito de resposta de Kassab ficaria comprometido diante desta argumentação se a mesma fosse apresentada para a justiça eleitoral. O fato é que é muito difícil pensar a coisa certa. Mas sentir é diferente. Sérgio Vaz argumenta com os próprios sentimentos, diante da realidade em que vive. Não está em defesa de alguém, a não ser de si mesmo e dos seus. O preconceito contra o prefeito não é aceito e por que então todos os desempregados que querem conseguir trabalho tem que preencher fichas dizendo se são casados, se tem fihos e até qual a cor da pele?
Leia.

21 de out de 2008

Poderia ser qualquer um de nós?

Para mim uma das coisas mais intrigantes da morte de Eloá é que o assassino era uma pessoa comum, trabalhador, tanto que era muito querido pela família dela. Isso me leva a crer que poderia ser qualquer um, qualquer pessoa. Será? Será que estamos sujeitos a cometer um crime como esse? Se sim fica ainda mais evidente o perigo de uma arma.

Análise da morte de Eloá

Alerta de Rodrigo Pimentel, ex-comandante do Bope:

Podemos esperar mais casos com esse tipo de desfecho?
Outras virão, não vai ser a primeira nem a última vez. O que aconteceu ali, apesar de ser uma ocorrência com refém, é algo comum no Brasil. Ex-noivos, ex-maridos e ex-namorados matando suas ex-companheiras ou suas companheiras atuais. Nós temos Estados no Brasil, como Pernambuco, onde cerca de 20% dos homicídios são dessa natureza, praticados por companheiros. Uma mulher morre por dia em Pernambuco vítima do seu companheiro. Essa é outra questão para a gente refletir. Apesar de ser uma ocorrência com refém, o que chama a atenção é a morte de uma ex-namorada, o que é absurdamente comum no Brasil. Homens no Brasil matam suas companheiras com uma freqüência muito grande.

Veja na íntegra.

Quero escrever

Tenho no mínimo dois assuntos para escrever.
1) Hoje no trabalho, na escola, descobri uma dor. Uma dor que conheço bem, porque já senti. Soube por um aluno e notei o quanto somos mais sensíveis a dor do outro quando já a sentimos na pele.

2) O comentário do poeta Sérgio Vaz sobre a campanha de Marta para a prefeitura que fez insinuações sobre Kassab.

Assim que tiver tempo quero escrever sobre isso.

19 de out de 2008

Pedro Cardoso e Polêmica sobre Pornografia



Há poucos dias soube pelo jornal sobre uma polêmica causada por um manifesto contra a pornografia lido pelo ator Pedro Cardoso antes da exibição de um filme no Rio de Janeiro. Entrevistaram algumas pessoas que se mostraram contra o manifesto. O trecho que ele comenta sessões privês de cenas de nudez de algumas atrizes exibidas por diretores à equipe do filme sugere que estava se referindo ao Selton Mello que dirigiu o filme "Feliz Natal" estrelado pela suposta namorada de Pedro Cardoso, Graziella Moretto.

Gosto da forma com que Pedro Cardoso conduziu sua argumentação e com a licença "poética", se me permitem, por ser eu uma romântica, peço para me omitir do âmago do debate para copiar aqui o tracho que me deixou encantada:

"E para que não digam que estou assim trasntornado com este assunto porque agora estou namorando uma atriz, digo logo eu! De fato, nos dói mais a dor que dói em nós mesmos. Mas saibam que estas idéias, incômodos e preocupações já nos ocupavam, tanto a mim quanto a ela, muito antes do nosso encontro. Agora, ver a mulher que eu amo ter que diariamente se defender no trabalho contra a pornografia reinante, tornou este assunto a primeira ordem do meu dia. Se antes era apenas por responsabilidade profissional que eu me opunha a pornografia, agora é também por amor. Se alguém conhecer um motivo melhor do que este para lutar por uma causa, me diga, porque eu não conheço. E ainda afirmo: o meu afeto não me nubla o discernimento. Ao contrário, acredito que ele me deixe mais lúcido porque mais determinado."

Leia a íntegra.

Luto por Eloá, Luz pela humanidade

O blog ficou de luto.
O Brasil acompanhou pela TV o pior desfecho possível de um caso de cárcere privado. Eu não esperava por isso. Acho que ninguém esperava.
Não dá para escrever neste blog como se nada tivesse acontecido.
Quando tragédias assim são exaustivamente mostradas pela mídia e causam tamanha comoção na sociedade sempre me pergunto "quantas outras tragédias podem estar acontecendo o tempo todo sem que sejamos atingidos e tocados da mesma forma?"
Vi um trecho de uma entrevista da diretora do hospital em que Eloá foi internada, ela dizia que embora houvesse mudança na rotina do hospital por conta do assédio da imprensa os esforços eram para que nada mudasse no atendimento aos mais de 200 pacientes. Pensei comigo "quantas outras vidas sofrem, choram, doem...?"

Na quinta-feira estive em um hospital e presenciei uma mãe que levava o filho para o tratamento de quimioterapia. Ele estava esperando deitado no colo dela. Ela olhava para o nada e lágrimas caíam de seus olhos. Senti naquela mãe a vontade de trocar de vida com o filho.

Na entrevista das páginas amarelas da Revista Veja dessa semana acabei de ler a entrevista do filósofo francês Luc Ferry, cuja qual ele fala sobre o sagrado. Acima das religiões estão as famílias. O conceito de sagrado se determina através daquilo pelo qual podemos dar a nossa vida. E não há pai que não sacrifique a sua pela prole. Senti isso nas lágrimas daquela mulher no hospital. Sinto isso no abatimento dos pais de Eloá que mal puderam acompanhar o caso. E vejo a grandeza da humanidade que chora. Ainda que vivamos em um mundo violento e injusto, há mais almas complacentes que deitam em seus leitos tristes ao saberem que em alguma parte do planeta há tristeza em algum semelhante.

Ainda na entrevista do Luc Ferry ele cita o sociólogo alemão Max Weber que costumava dizer que era possível encontrar os valores tradicionais no código do mar. Segundo o código um comandante de navio deveria morrer com sua embarcação em caso de náufrago ainda que todos os passageiros e tripulantes fossem salvos. A conclusão da metáfora, afirma Ferry, é que hoje ninguém mais está disposto a morrer pelo casco do navio, mas somente pelos passageiros que ele abriga.
Talvez seja esse um progresso da humanidade, uma luz para nos orgulharmos entre os motivos de lágrima que temos.

Sobre o papel da mídia neste caso vale ler o Querido Leitor

17 de out de 2008

Visita surreal de Otávio Mesquita

Estou gripada.
Tosse, dores no corpo, indisposição.
Tem algo de diferente no meu dia.
É esquisito sentir-se diferente assim...

Tenho compromissos a cumprir e pouca disposição para cumpri-los.
Sinto-me fraca, carente.

Mesmo assim fatos surreais tem acontecido...
Ouvi latidos e gritos na rua. Tive medo que minha pit bull estivesse atacando alguém.
Minha casa tem duas frentes para a rua, uma delas é a garagem. Fui pela outra porta olhar o motivo dos gritos. Otávio Mesquita estava na porta da minha garagem, minha mãe saiu por lá e o abraçou. Foi incrível! Depois tomamos café juntos e eu o entrevistei para a TV Guarulhos.

Veja aqui o vídeo da entrevista.

Professor, Profecia, Profissão

Gostei tanto desse post do Querido Leitor que quis publicar aqui também.
É uma forma de guardar e compartilhar o que gosto.

Foi um educador que me falou sobre as três formas de aprender ou absorver conhecimento, usando três palavras: PROFecia, PROFessor, PROFissão. A Profecia é o conhecimento divino, algo que você sabe mas nem sabe como ficou sabendo. Vem da intuição, do cosmo, da natureza. O universo ensina você. O Professor é aquele pessoa que tem o conhecimento formal e também a técnica para transmití-lo para outro ser humano. O professor é o contato do humano com o humano. O professor ensina você. Finalmente vem a profissão. A profissão é a experiência, o aprendizado da repetição, os erros e acertos, a vivência. De tanto ver, copiar, fazer, descobrir, você vai virando um bom profissional. A profissão faz com que você aprenda sozinho e com totos. Feliz dia do professor e de tudo e todos que nos ensinam. (Rosana Hermann)

15 de out de 2008

Feliz Dia dos Professores

Em homenagem ao Dia dos Professores ofereço esse meu texto Manifesto de um Professor

Ontem saí com um príncipe

Uma Noite com o Príncipe
Ontem um príncipe me levou ao cinema.
Ele não estava bem de saúde. Ofereci de ir buscá-lo. Príncipes modernos não usam mais cavalo branco. Alguns andam à pé pelas ruas, ou de carro, esses ficam mais visíveis para as princesas que esquecem de olhar as calçadas.
Ele entrou no meu carro sorrindo e aceitou assistir um filme romântico.
Comprou ingresso e pipoca e só sentado ao meu lado no cinema perguntou: "Sobre o quê mesmo é esse filme?"
Talvez tenha sido uma tentativa de auto-engano. É difícil até para um príncipe ser romântico. É como se isso fosse contra a sua natureza de "homem". Se ele já sabia que o filme era "para mulher"eu não quis relembra-lo o tema de amor. Alimentei o engano facilitando as coisas para ele. Respondi: "Sabe que também não sei?"
Nas cenas melosas ele me olhava e tirava um sarro: "É disso que você gosta, né?" E ria baixinho.
Parece que os príncipes de hoje tem vergonha de se comoverem em cenas assim.
Ao mesmo tempo eu sentia, de alguma forma, que ele também estava gostando das cenas. Se não fosse a tal da resistência ao amor esse príncipe até que seria bem romântico.
Depois ainda sentamos para conversar.
Ele ficou me olhando, mexeu no meu cabelo e disse que eu estava linda. Eu estava de jeans, camiseta preta, cabelo sem escova, rosto sem maquilagem... Ele adorou! Nem sentiu falta das produções de vestidos que se usavam nos castelos, ao contrário, parecia que me achava especialmente bonita naquele traje, natural.

O príncipe não me deixou em casa, fui eu quem o deixei na casa dele.
Por maior que tenha sido a resistência ele me deu uma noite de princesa ontem.

Embora longe dos contos de fada a realidade às vezes pode ser ainda mais doce.

Mensagem no celular dele:
Adorei a noite de hoje, sabia?

Resposta do príncipe no celular dela:
"Você é a melhor coisa que já me aconteceu! Te amo!"

Desabafo Desmedido

Não me contento com pouco, meu coração é tão vasto que cabe nele o desejo do mundo.
Quero sempre mais, quero sempre muito.
Amo cada gota, um amor inesgotável.
Os que amo quero perto, quero sempre, incansavelmente.
Às vezes acho que quero mais, mais, mais, do que posso ou deveria.

O meu amor não tem medida.
Não tem profundidade.
Cabe no espaço do infinito.

14 de out de 2008

Sonho (Im)Possível

Uma vez vi a letra dessa música recitada em uma entrevista do jornalista Waldir Carleto. Procurei na internet e depois não consegui encontrar de novo.
Hoje, no blog da Paulah Gauss, encontrei-a de novo. Que bom! Assim posso compartilhar com você, leitor:

Sonho Impossível(trad. Chico Buarque)

Sonhar mais um sonho impossível
Lutar quando é fácil ceder
Vencer
O inimigo invencível
Negar
Quando a regra é vender
Sofrer
A tortura implacável
Romper
A incabível prisão
Voar
Num limite improvável
Tocar
O inacessível chão
É minha lei, é minha questão
Virar esse mundo
Cravar esse chão
Não me importa saber
Se é terrível demais
Quantas guerras terei que vencer
Por um pouco de paz
E amanhã, se esse chão que eu beijei
For meu leito e perdão
Vou saber que valeu delirar
E morrer de paixão
E assim, seja lá como for
Vai ter fim a infinita aflição
E o mundo vai ver uma flor
Brotar do impossível chão
Achei fabulosa essa matéria que li na Revista Veja e copiei deste blog, aqui você encontra a matéria completa.

Ebulição

Às vezes me sinto suspensa...
Nem sei exato o que me causa, mas a escrita fica regrada, diminuta, embora as idéias continuem em ebulição. Assim como os acontecimentos.
Observo minha vida o tempo todo como quem escreverá um texto em seguida.
De que forma aquele detalhe seria conhecido, revelado, escrito? Eu me pergunto.
As minhas atitudes não acompanham a velocidade do meu pensamento, entretanto, aos poucos, isso acontecerá.
É o que sonho, o que planejo.

13 de out de 2008

Pedido de Casamento (em transmissão ao vivo)

Coisas assim acontecem na vida real, e em transmissão ao vivo.
Eu AMEI assistir esse vídeo!
O namorado de uma apresentadora de telejornal a surpreendeu ao vivo com um pedido de casamento.

10 de out de 2008

Filme Romântico?

Por que continuo acreditando que um dia iremos ao cinema e não deixarei ele escolher o filme?
Por que quando estamos na fila eu fico com dó dele assistir um romance se ele já tinha concordado em me deixar decidir dessa vez?
Por que depois de ter a feito a besteira de ceder e assistir o filme dele eu fico com vontade de ir embora antes do filme terminar e prometo a mim mesma que jamais farei isso de novo?
Só que nem eu mesma acredito e me justifico dizendo (a mim mesma) que de nada adianta assistir um romance sem estar no clima... Mas, afinal, algum dia ele estará no clima para assistir um romance?
Depois tenho que ler o Contardo Calligaris dizendo que os romances da vida real não são como nos filmes românticos. E daí? Deixe-me sonhar com o que não existe. Afinal que eu saiba a vida dos homens também não é um filme de ação ou de aventura. Pelo menos nunca vi nenhum homem que sobreviveu de alguma missão impossível.
E quando acaba o filme eu chego a concluir que a vida é o que acontece entre um filme e outro, no intervalo do meu sonho de repetir cada cena na vida real.
Aliás a vida é o filme mais interessante que existe, porque é a gente que faz. E desse filme eu não posso reclamar, é meu!

9 de out de 2008

Blog

O que mais tem é gente que chega e vai embora.
O que mais acontece é olhar e sair.
O que poderia encantar essa gente?
Seja bem-vindo ao blog!
Só para variar... Fique!

Passear sem gastar

Assim que teve a idéia de divulgar programas culturais gratuitos que acontecem em São Paulo, Gilberto Dimenstein passou a receber e-mails e mais e-mails. O conteúdo recebido foi tão grande que surgiu o site Catraca Livre.

Crise na Economia

Para quem não é do ramo é muito complicado entender a crise na economia.
Gostei desse artigo sobre o assunto.

8 de out de 2008

Vovó Neuza


O blog Querido Leitor citou esse blog da Vovó Neuza.
Achei demais!
É tão animador pensar na longevidade da vida vivida por pessoas assim!
Adorei!

Replay

Não recebi nenhum comentário nesse post. Mas é imperdível!
Principalmente pelo link para ouvir os poemas.

Primeira Vez

Eu queria dizer coisas que nunca disse antes.
Queria que fossem sinceras.
Que fossem sonoras, audíveis, límpidas.
Eu não sei quem gostaria de ouvir o que digo.
Sei apenas que fico querendo.
Sei apenas que fico dizendo.
Mesmo que ninguém ouça.

Os 5 D's

Introdução
Praticamente nunca assisto TV.
Não me atrai.
Fico na sala ao lado, usando a internet, nos horários que a família se reúne para ver jornal, novela ou jogo. Eventualmente alguém faz um comentário, me chama e dou uma olhada.
Na maioria das vezes eu peço para abaixar o som porque gosto de escrever em silêncio. O barulho da TV me desconcentra.
Eis que ontem à noite minha mãe me chama. Nem sempre costumo atender porque nossos gostos para atrações televisivas não são os mesmos.
Vejo na TV Luciana Gimenez entrevistando Vitor Belfort.
Nada contra, mas jamais poderia imaginar que dali sairia algo produtivo para mim.
Foi o que aconteceu.

(Precisei até fazer esse texto introdutório no post para conseguir citar a fonte do que desejo compartilhar)

Eu já tinha desistido de assistir quando ouvi algo sobre os 5 D's do sucesso. Cada dedo da mão representaria um. Tive que pesquisar na internet porque não consegui entender da sala ao lado do que se tratava exatamente.

Os 5 D's

1)Desejo
Cada sonho que temos nasce de um profundo desejo. O desejo impulsiona nossos sonhos.

2)Direção
Quando temos um sonho, um desejo claro e forte, fica mais fácil ouvir o chamado. É como uma chama queimando dentro de nós e nos indicando a direção.

3)Determinação
Devemos estar definidos, concentrados, focados, determinados.

4)Dedicação
Nem tudo vem fácil, é preciso entrega, dedicação.

5)Disciplina
Sem disciplina ninguém chega a lugar algum. Uma única palavra que une e completa todas as anteriores.

"A" de ATITUDE
Existem variações dos 5 D's com palavras suprimidas em que se acrescentam o discernimento, o deleite, a descoberta. Cada um deve fazer o seu próprio lema. Os 5 D's que lhe servem. Sem esquecer-se se um único A. "A" de atitude, ação. Para colocar tudo em prática.

Aline Ahmad***

Atualizando

Ontem e hoje foram dois dias de correria.
Na semana das crianças o colégio fica todo enfeitado. Todos entram no clima!
Na sexta-feira vai ser dia de acantonamento, as crianças vão trazer o colchão para dormir na escola. Vai ser uma festa só, até o dia raiar. Espero que eles se cansem e durmam um pouquinho também.
Ontem conversei muito com a Alzira, coordenadora pedagógica e minha amiga pessoal (vide Professora).
Tem muitas coisas que quero clarear na minha vida. Muitos sonhos para realizar.
É comum sentir a sensação que o tempo passa e nos deixa para trás?

Ontem na última hora, quase 21h minha cunhada me liga, era aniversário da sogra e meu namorado esqueceu de avisar, claro. Ele ainda estava no trabalho. Foi o último a chegar na festa. Tive que aparecer sem presente. Não deu tempo de comprar. Mais um que entregarei atrasado. Definitivamente tenho dificuldade com datas, sou quase um homem nesse aspecto... risos

Pela manhã fui correr. Foram apenas 25 minutos, com média de frequência cardíaca de 157 por minuto. Aumentei o percurso e dimunuí o tempo. Estou ficando melhor, acho...

7 de out de 2008

6 de out de 2008

Pride - A História de Jim Ellis


Este senhor que sorri e em seu sorriso - ou seria no brilho de seu olhar? - parece que conhecemos a textura de sua alma chama-se Jim Ellis.


Há mais de 30 anos ele treina garotos e garotas na periferia da Pensilvânia.

Por causa deste trabalho muitos de seus atletas conseguiram bolsas de estudo nas melhores universidades dos Estados Unidos, vários participaram de eliminatórias pré-olímpicas.


A inspiradora história deste carismático professor deu origem ao filme: "Pride - O Orgulho de uma Nação".


Chorei logo na primeira cena.

Um homem que soube superar o preconceito para despertar o valor inestimável presente em cada ser humano. Recomendo!


Fotos capturadas aqui e aqui.

Falha na Previsão das Eleições

Como pode o Ibope errar tanto? Dizem que a margem de erro é de apenas 5%, mas...

Olhe essa pesquisa publicada na UOL:

26/09/2008 - 16h48
Ibope mostra empate técnico em Guarulhos
Da Redação
Pesquisa Ibope sobre a disputa pela Prefeitura de Guarulhos aponta os candidatos Sebastião Almeida (PT) e Jovino Cândido (PV) tecnicamente empatados na primeira colocação, com 24% e 21% das intenções de voto, respectivamente. A margem de erro é de cinco pontos percentuais.
A terceira colocação é ocupada por Carlos Roberto (PSDB), com 14% das menções dos eleitores, seguida por Adriana Afonso (PMDB) com 5%, Jorge Tadeu (DEM) com 3%, Adilson Valente (PCdoB) com 2%, Albertão (PSOL) e Fantazzini (PPS), ambos com 1% das intenções de voto. Votos brancos ou nulos somam 12% e indecisos são 17%.


Contrariando as previsões Almeida teve 47,22%, ao invés dos 24% previstos pelo IBOPE.
Carlos Roberto teria 14%, na verdade teve 23,71%. Jovino teria 21%, na verdade teve 17,16% (segundo o site)

Importância do Voto

Ontem foi dia de eleição.
Infelizmente o povo brasileiro não sabe votar.
Muitas pessoas, conscientes e esclarecidas inclusive, parecem não fazer idéia da importância do voto.
Devia ser conteúdo da escola.
Os alunos deviam participar mais das decisões escolares, escolher, compreender na prática os benefícios e responsabilidades de um único voto.
Todo mundo fala e fica tão vago.
Tanta gente vota nulo em protesto... Fico triste que as pessoas não se manifestem.

"Para o mal acontecer, basta que as pessoas de bem não façam nada".

3 de out de 2008

Relacionamentos são como cristais

Relacionamentos são como cristais em que várias cores vemos refletidas.

Nas matizes cristalinas vemos nós mesmos, vemos o outro, sob o véu de uma cor diferente, a cada instante.

Há as visões que deturpam a imagem, como lentes viciadas.
Entretanto há também as límpidas que nos permitem ver mais profundo, então reencontramos o outro e reconhecemos nele aquele por quem nos apaixonamos antes.

Hoje ele estava estressado. Um único comentário meu torceu a sua expressão, franziu sua testa. Eu estava apenas dividindo algo que aconteceu comigo, ele interpretou que se prejudicaria. Nem ouviu o que eu disse, nem ouviu mais nada... Era tão simples, tão bobo, que quando levantei para ir embora ele me chamou de volta achando que eu estivesse brava com alguma coisa. Para mim tratava-se apenas de um desentedimento casual, e era. Só que mesmo estressado ele se preocupou: "Será que ela se magoou!?"

Não, eu não tinha me magoado com esta bobagem. Eu me despedi certa de que ele é especial e eu queria muito que soubesse disso. Que não vou ficar "brava" ou "magoada" por bobagem, que ele pode ser quem é quando estiver comigo que eu entenderei, assim como ele entende meus momentos difíceis também.

Quando vi já tinha ligado e dito tudo isso, do outro lado senti que ele sorriu, a voz ficou feliz:

- Você é uma lindona mesmo! Eu que não devia ter me estressado com essa bobagem, eu que devia ter aproveitado para ficar um pouco com você... Linda! [disse ternamente]

Quando ele me diz "linda" não fala da beleza que vê, mas da que sente sair de mim e atingir seu coração. Nunca me disse com essas palavras mas são coisas implícitas no seu jeito de dizer.

Pequenos gestos mudam a cor com a qual vemos aquele instante. Uma outra cor mostra que o que sentimos também é diferente. O que parecia ódio pode ser amor, o que parecia repulsa pode ser respeito, o que parecia excesso pode ser carência. E no cansaço por termos demais a presença do outro percebemos a falta que nos causa aquela ausência.

Relacionamentos são cristais, quebram. Mas jamais deixam de refletir em cada pedaço inúmeras cores. A nós cabe preservar transparente e belo.

2 de out de 2008

Mais Ensaio sobre a Cegueira

Passa o tempo e o filme "Ensaio sobre a Cegueira" fica cada vez mais vivo para mim. Em diversos momentos do dia sou remetida a cenas e experiências.

Minha amiga Renata fez o favor de me enviar esse trecho da coluna de Contardo Calligaris sobre o filme:

“ ... em quase todas as narrativas apocalípticas, a contraposição de retidão e bestialidade é o sinal de uma liberdade quase absoluta, angustiante: o fim do mundo é um bívio sem leis, sem flechas, sem compromissos, onde qualquer um pode escolher o horror ou a esperança. A oposição caricata dos bons e dos ruins expressa a incerteza do espectador, do leitor e do autor: "Você, se, por uma misteriosa epidemia, o mundo ficar cego, se o reino da lei acabar e começar a idade da luta pela sobrevivência, de que lado estará? Do lado dos que inventarão novas formas de abusos ou dos que descobrirão novas formas de respeito e de vida comum? Uma vez perdida a visão, o que você enxergará no seu vizinho: mais uma mulher para estuprar e um otário para explorar ou um irmão, perdido que nem você?"

No "Ensaio sobre a Cegueira" (de Meirelles e de Saramago), diferente do que acontece em muitas narrativas apocalípticas, a heroína é uma mulher, e as mulheres são as depositárias da esperança; elas saem engrandecidas pelas provas da situação extrema.

São elas que, para o bem de todos, entregam-se aos estupradores, aviltando não elas mesmas mas os que as violentam, com uma coragem que salienta a covardia dos maridos ciumentos ou zelosos de sua "honra". São elas que sabem cuidar de uma criança ou matar quando é preciso. São elas que reinventam a amizade (em cenas memoráveis: a das mulheres lavando o corpo da companheira espancada à morte e a das mulheres no chuveiro).

Aviso, caso, um dia, a gente tenha que recomeçar tudo do zero: em geral, as mulheres sabem, melhor do que os homens, o que é essencial na vida”.

Formatura Infantil

No colégio as crianças "se formam" assim que terminam a Educação Infantil para iniciar o Ensino Fundamental. É uma cerimônia nos moldes de uma formatura mesmo. Tem um baile e algumas apresentações dos alunos. Tudo muito fofo porque os formando tem apenas 5 anos.

Neste ano o tema das apresentações será a união dos povos e a paz entre as nações. Serão 4 coreografias , cada uma representando um país: Egito, Itália, Japão e, ao final, Brasil.

Fiquei responsável por escrever o texto.
Penso em algo assim:

Menina- (nome do menino), hoje é o dia da nossa viagem!
Menino - Que viagem?
Menina- Lembra que encontramos um livro antigo na biblioteca da vovó?
Menino - Sei, aquele cheio de poeira.
Menina - Então, quando a gente abre um livro somos capazes de viajar sem sair do lugar!
Menino - Uau!
Menina - Ler é conhecer até o que não está ao nosso alcance.
Menino - Então eu quero começar a viagem. O livro diz que a nossa próxima parada é o Egito!
Menina - Egito?
Menino - Isso!

(coreografia do Egito)

Menino - Agora vamos para outro continente: a Europa! Lá conheceramos os italianos.
Menina - Hmm... Soube que a Itália é a terra da Pizza!
Menino - Vamos assistir este espetáculo italiano!

(coreografia da Itália)

Menina - Acabei de virar mais uma página vamos agora para ainda mais longe.
Menino - Já consigo ver as expressões, os olhos puxados...
Menina - Do outro lado do mundo, pelo menos da nossa parte do mundo...
Juntos - Japão!

(coreografia do Japão)

Menina - Nossa, vamos finalmente voltar para casa
Menino - Para o nosso amado país!
Menina - E trazemos muitas experiências na bagagem, não?
Menino - Muitas! Culturas diferentes, pessoas diferentes...
Menina - Ao mesmo tempo percebeu como somos semelhantes?
Menino - Sim, somos todos humanos. Pertencemos a raça humana!
Menina - E com muito orgulho talvez este seja o país que mais represente essa união de povos.
Menino - Sim, essa nossa comunhão de culturas, de aceitação das diferenças.
Menina - Muitos povos vivem aqui. Há espaço e lugar para todos.
Menino - Somos terra de todos! Aliás aqui há espaço e lugar para o respeito, solidariedade...
Menina - E onde não houver nós vamos levar, combinado?
Menino - Mas como?
Menina - Através dos livros!
(menino olha para o público como se conversasse com a platéia) - Nesta história os livros representam a leitura, a escola, a educação, através da educação podemos mudar o mundo!
Menina - Através da educação podemos mudar um país!
Menino - O nosso país:
Juntos - Brasil!!!!

(coreografia do Brasil)

Aline Ahmad***
P.S.: Se você tiver a intenção de usar o texto na formatura de Educação Infantil da sua escola para mim será uma honra, por favor apenas preserve os direitos autorais. A condição é de que seja citada a minha autoria deste texto e que deixe um comentário aqui no blog me dizendo qual a escola, só para que eu tenha um registro de por onde minhas palavras tem ido passear. Beijos de luz e boa festa!

A Beleza e a Coragem - A princesa do reino proibido

Na faculdade um professor, em seu último dia de aula com a minha turma, nos contou uma história. Sobre um rei que proibiu todos do reino de falarem com a princesa, verem a princesa e até mesmo de pensarem na princesa, sob pena de irem para a forca.

Um homem, uma vez no campo de repente se deparou com uma bela moça ao longe, viu que ela tirava a roupa para se banhar no lago, e a cena era tão mágica e encantadora que ele se apaixonou por toda aquela beleza que inundava seu olhar. Percebeu que se tratava da princesa e concluiu que seria morto porque ele a tinha visto, e ainda nua, e continuava cometendo ato proibido porque aquela imagem não lhe saía da cabeça. Ele pensava o tempo todo na princesa. Decidiu ir ao castelo e pedir ao rei a mão de sua filha, a princesa. Os amigos tentaram impedir, sabiam que seria morto na forca, mas nada mais lhe restava, ele não conseguia mais viver sem ela - mesmo que como imagem a princesa continuasse próxima, em seu sentimento.

Então o sábio rei ao receber o homem percebeu estar diante de alguém com rara coragem para governar seu reino e com extremo sentimento de amor por sua filha, inevitavelmente a faria muito feliz. Permitiu, assim, que se casassem.

Nesta história a princesa representa a beleza, que uma vez conhecida jamais pode ser esquecida e o homem representa a inocência que sob o encanto do amor pode revelar-se coragem.

É por isso que toda pessoa inocente e frágil tem em si uma força surpreendente.

A verdadeira história contada por meu professor se perdeu. Nunca encontrei nada parecido na internet, nem algum colega que pudesse se lembrar, meu professor morreu e levou com ele o enredo. Apenas reproduzi parte do que me lembro e recriei com os poucos dados que me restaram na memória.

Aline Ahmad***

1 de out de 2008

Promessas Matrimoniais

Um belo dia a escritora Martha Medeiros teve a grande idéia de substituir aquele antigo sermão da igreja dito em casamentos por algo mais atual, mais real.
Ficou assim:


PROMESSAS MATRIMONIAIS
Por Martha Medeiros
Em maio de 98, escrevi um texto em que afirmava que achava bonito o ritual do casamento na igreja, com seus vestidos brancos e tapetes vermelhos, mas que a única coisa que me desagradava era o sermão do padre: "Promete ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte os separe?" Acho simplista e um pouco fora da realidade. Dou aqui novas sugestões de sermões:

- Promete não deixar a paixão fazer de você uma pessoa controladora, e sim respeitar a individualidade do seu amado, lembrando sempre que ele não pertence a você e que está ao seu lado por livre e espontânea vontade?
- Promete saber ser amiga e ser amante, sabendo exatamente quando devem entrar em cena uma e outra, sem que isso lhe transforme numa pessoa de dupla identidade ou numa pessoa menos romântica?
- Promete fazer da passagem dos anos uma via de amadurecimento e não uma via de cobranças por sonhos idealizados que não chegaram a se concretizar?
- Promete sentir prazer de estar com a pessoa que você escolheu e ser feliz ao lado dela pelo simples fato de ela ser a pessoa que melhor conhece você e portanto a mais bem preparada para lhe ajudar, assim como você a ela?
- Promete se deixar conhecer?
- Promete que seguirá sendo uma pessoa gentil, carinhosa e educada, que não usará a rotina como desculpa para sua falta de humor?
- Promete que fará sexo sem pudores, que fará filhos por amor e por vontade, e não porque é o que esperam de você, e que os educará para serem independentes e bem informados sobre a realidade que os aguarda?
- Promete que não falará mal da pessoa com quem casou só para arrancar risadas dos outros?
- Promete que a palavra liberdade seguirá tendo a mesma importância que sempre teve na sua vida, que você saberá responsabilizar-se por si mesmo sem ficar escravizado pelo outro e que saberá lidar com sua própria solidão, que casamento algum elimina?
- Promete que será tão você mesmo quanto era minutos antes de entrar na igreja?
Sendo assim, declaro-os muito mais que marido e mulher: declaro-os maduros.

Ensaio sobre a cegueira

Assisti ao filme "Ensaio sobre a cegueira". Para mim é um filme fabuloso!
Muitas vezes cheguei a pensar "Como pode que tanta gente que conheço não tenha gostado?"
Obviamente não é um filme comercial, divertido, bobo. É um filme pesado, chegou a me doer os ombros como se fosse algo que eu também estivesse carregando junto com os personagens. Considerei muito real, muito próximo. A situação matafórica parecia estar acontecendo, tudo me pareceu extramamente verossímel. Nossa!

Quando entro demais nos filmes demoro a voltar. Saio viva do cinema (claro!) mas parece que vivi aquela experiência. É esquisito e chega a incomodar um pouco... Considero um filme imperdível, repleto de significados, mensagens. Pena que poucos olhos não estejam cegos. Só pode assistir quem consegue ver.

"NOVA" POETISA - Poemas Imperdíveis de Ouvir


Semana passada estive em um evento tão lindo, tão mágico!
Eu o descrevi aqui, nessas minhas palavras frágeis e muito, infinitamente, menores e menos adocicadas que as reais.
Na coluna de hoje Gilberto Dimenstein fez a sua parte, entretanto também ele ficou pequenino, diante da grandeza dessa "nova" poetisa.

Abaixo você clica e ouve na voz da autora esses poemas:
Poema para um amor bem mais jovem
A receita de bolo
Sou louco

Na página de Dimenstein você conhece melhor o rosto desta doçura de mulher, de onde copiei esta foto.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...