Se esta é a sua primeira vez neste blog leia na coluna da direita as instruções!

10 de abr de 2008

José Pacheco

Da forma que coloquei a foto parece que ele me olha enquanto escrevo...

Este é o perfil de José Pacheco. O perfil na foto, não em texto. Porque textualmente a emoção não deixa contar tudo. A razão não funciona no ritmo da emoção e o texto fica falho...

Por volta de 2002, calculo, li pela internet umas crônicas de Rubem Alves que fazem parte do livro "A escola que sempre sonhei sem nunca imaginar que pudesse existir" (você pode encontrar os escritos aqui: http://www.escola2000.org.br/pesquise/texto/textos_art.aspx?id=17). Detalhava a experiência dele ao visitar uma escola encantadora em Portugal, cujo diretor e idealizador do projeto era José Pacheco.

Estive algumas vezes na presença dele em Congressos. Pacheco sempre me emocionou, me comoveu a ponto de levar-me às lágrimas... A forma com que ele pensa a educação faz palpitar meu âmago.

Em 21 de junho de 2005 lhe escrevi este e-mail:

Prof. José Pacheco,

Sinto-me pequenininha em escrever. Logo eu que me dou tão bem com as palavras, que adoro formular textos belos e pensar poemas, desenhar poesias e rimas ligando as letras do alfabeto, criando um sonho... É por causo do sonho que escrevo e pela felicidade do sonho que não consigo corresponder em palavras. O que chamo "sonho" e leio com somente 5 letras tem um sentido um pouco mais comprido. São duas palavras maiores ligadas por uma pequenina. Uma é "Escola" a outra é "Ponte" e as duas juntas poderiam ser sinônimo de Sonho.

Sem saber eu já sonhava e era você que realizava meu sonho do outro lado do oceano... O que dizer para o responsável por realizar meu singelo sonho? Talvez o silêncio do olhar que não posso transmitir agora, ou o barulhinho de um sorriso que aparece em meu rosto toda vez que lembro, ou a voz do sentimento especial que une nossos sonhos em um, ou a esperança ainda criança de que o sonho não acabou, ou uma novem rosada tingida pelo Sol no crepúsculo, ou um céu estrelado como um lençol azul marinho na imensidão da noite, ou uma mordida doce na fruta preferida. Ou simplesmente calar-me, como me calo, porque nada tenho a acrescentar à perfeição deste sonho...

Beijos afetuosos,

Aline***

*Uma educadora de 26 anos, que lê Rubem Alves, acompanha Pacheco nas palestras no Brasil e sorri sozinha porque eles não sabem quem ela é, mas ela sabe muito bem quem eles são e os admira demais

No dia seguinte ele me respondeu:

Prezada Aline,

Se a linguagem é fonte de mal-entendidos (como diria a raposa do Pequeno Príncipe) e o essencial não cabe nas palavras, resta-me fazer silêncio e enviar-te uns textinhos que escrevi para o meu neto Marcos (já leste as cartas que escrevi para a Alice?).

Em Julho, voltarei ao teu país. Se estiveres por aí, discretamente ouvindo a minha "fala", e quiseres dar-te a conhecer, poderei disponibilizar um tempo para "trocarmos figurinhas". Nem que seja em silêncio...

Um beijo.

José Pacheco

____________________________________

Eu o vi outras vezes, nos correspondemos outras tantas, mas até hoje nossas almas não puderam conversar dentro de nossos corpos sem que estivéssemos distantes.

*para conhecer mais: http://www.eb1-ponte-n1.rcts.pt/ (site oficial)

2 comentários:

lalita disse...

mmmmmm...esse daqui está demais. Falei sobre o Pacheco domingo passado, numa mesa de bar (Genésio) com um amigo do Guto que faz pedagogia na Unicamp. Perguntei se ele sabia, e claro que sabia, conversamos, ele contou algumas coisas (eu mais ouvi que falei) e quis que vc estivesse por lá....

Anônimo disse...

Boa tarde Aline,

gostaria de saber se vc tem o e-mail do José Pacheco. Se tiver e puder passar p meu e mail eu agradeço mto: jufreitas_to@hotmail.com

Obrigada!

Juliana

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...