Se esta é a sua primeira vez neste blog leia na coluna da direita as instruções!

22 de mar de 2010

Revelo

Toda vez que o lápis toca o papel a escrita que se sucede cálida é para ti.
Como posso me negar se é essa a inspiração que tenho?
Vem fácil e nada mais a atrai.
Somente contar-te, dizer-te, falar-te.
Ou aos outros contar, dizer, falar, sobre ti...
Rendo-me ao que é quase a extensão dos meus dedos.
Rendo-me aos movimentos quase involuntários.
E sempre o que componho não diz outra coisa a não ser amor.
Não diz outra coisa a não ser o que sinto.
Por isso não minto.
É, sim, de ti que falo.

Nem mesmo seu nome calo,
Falo de ti, Paulo.

4 comentários:

Suelen Bastos disse...

ai que texto lindo,
ele é tão simples mas diz tanto!
parabens

Suelen Bastos disse...

nossa, você tem uma forma de escrever
que remete minha memória à poesias antigas de livros de amor. que linda e expressiva, com palavras incomuns. muito bem feitas, enfim.. rs parabéns ( outra vez )

Adelita Ahmad disse...

ah, que lindo
te amo

Adelita Ahmad disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...