Se esta é a sua primeira vez neste blog leia na coluna da direita as instruções!

16 de jul de 2008

Uma casa para ela

Quando conhecemos a varanda da casa o sol estava se pondo no horizonte.
As matizes do crepúsculo são sempre as mais belas. É quando se despede que o sol nos mostra o seu esplendor. Assim acontece também na vida, mas como no crepúsculo nem todos sabem admirar o cessar da luz. Nem todos observam com admiração os olhos que se fecham para adormecer no sono eterno.

Ali, olhando o horizonte, senti que uma casa antes de nossa[minha e dele] deveria pertencer a outro alguém.

Ele mora em apartamento, a mãe sonha em ter quintal, largos ambientes, espaço para a churrasqueira.

"Imagine se pudesse dar uma casa assim para sua mãe!", falei.

Ele imaginou. Criou imagens. Concebeu a cena. Viu a alegria da mãe, o sorriso com olhos brilhando.

Quando fomos embora, depois de uma tarde de domingo com amigos ele me confidenciou:

"- Tem muitas coisas que faço em minha vida e que se não fizesse não me daria arrependimento. Mas tem uma coisa que eu posso me arrepender: não ter dado uma casa para minha mãe".

Vi sua expressão. Talvez decepcionado consigo. Balbuciei:
- Você ainda não pôde, mas é jovem, você ainda vai dar...

Continuou o raciocínio de algo que sentia intimamente e que falava para muito mais para si do que para mim:
"- Acho que deveria me concentrar mais nisso!"

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...